sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011 00:00h

PCPR/MG vai beneficiar 21,5 mil famílias mineiras

Em 2011, o Governo de Minas Gerais vai investir um total de R$ 11,6 milhões no Projeto de Combate à Pobreza Rural do Estado de Minas Gerais (PCPR/MG). Os recursos serão destinados à implantação de 363 projetos nas seguintes categorias: produtivo, infraestrutura e social. A iniciativa vai beneficiar 21,5 mil famílias dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas.

O PCPR/MG é desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais com apoio do Banco Mundial (Bird) e tem por objetivo desenvolver ações para amenizar a pobreza e buscar soluções para desenvolver as comunidades onde atua, financiando projetos comunitários.

A iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan) por meio do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene). Atualmente 188 municípios são beneficiados. O Projeto é voltado para comunidades rurais e urbanas organizadas em grupos de interesses comuns, trabalhadores e pequenos produtores rurais, artesãos e grupos de pescadores.

Os extensionistas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) participam ativamente de reuniões com os Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS) e associações para identificar as prioridades dos municípios. A partir dessas reuniões são definidos quais projetos do PCPR/MG serão implantados. É o extensionista da Emater-MG quem elabora os projetos técnicos, que são encaminhados para aprovação dos CMDRS e, posteriormente, ao Idene, responsável pela avaliação das propostas.

A assinatura dos convênios viabiliza o repasse dos recursos diretamente na conta da entidade para a execução. Após a implantação dos projetos, a Emater-MG continua prestando assistência às famílias e acompanhando o desenvolvimento dos projetos.

Entre 2006 e 2010 foram investidos R$ 95 milhões, beneficiando 115 mil famílias. Foram elaborados 2.093 projetos. Até 2009 foram construídos 179 centros sociais comunitários, em 87 municípios e cerca de 9.500 famílias beneficiadas. Foram implantados 415 sistemas de abastecimentos de água em 112 municípios. Outro projeto importante é o de mecanização agrícola (compra de máquinas para a produção) que beneficiou 13.500 famílias em 127 municípios.

Novo Cruzeiro
A família de Orlando Neres da Silva, do município de Novo Cruzeiro, no Vale do Jequitinhonha, foi uma das beneficiadas pelo PCPR/MG. Até bem pouco tempo o produtor tinha de preparar o terreno para o plantio da horta sem o auxílio de máquinas. “Era um tempo que a gente não usava bota. A terra tava cheia de formiga. E a gente tinha de aguentar tudo isso para plantar e produzir”, lembra Orlando Neres.

Mas, por meio do PCRP/MG o trabalho se tornou mais prático. Agora o preparo do terreno na propriedade do “seu” Orlando é feito com um microtrator. É assim também nas propriedades de outras famílias de Novo Cruzeiro. Somente com projetos de mecanização agrícola foram beneficiadas 467 famílias.

O extensionista da Emater-MG, Albert Tutancamon, acompanha de perto o trabalho dos agricultores. Segundo ele, as máquinas que os produtores receberam facilitam e agilizam o plantio das hortas. “Esses microtratores podem ser usados também desde o preparo do solo e canteiro até o transporte de insumos e alimentos”, diz o extensionista.

Pai Pedro
No total, 12 projetos do PCPR/MG foram implantados no município de Pai Pedro, no Norte de Minas: cinco de mecanização agrícola, dois de tanques de resfriamento de leite, uma fábrica de farinha, dois centros comunitários, um projeto de telefonia rural e um projeto de aquisição de matrizes leiteiras. Ao todo, 973 famílias foram beneficiadas. O município recebeu recursos no valor de R$ 837.203,00.

Em Pai Pedro, o que mais se vê é lavoura de sorgo. A pecuária mista é a principal atividade do município. Daí a importância da cultura do sorgo. Há dois anos, foi implantado no município o PCPR/MG para evitar possíveis perdas nas lavouras e ao mesmo tempo aumentar a produção. Os agricultores escolheram quais projetos eram prioritários. Eles optaram pela aquisição de máquinas agrícolas, aquisição de implementos agrícolas e a construção de um centro comunitário social. Foram beneficiadas 11 associações. O investimento no município por meio do Projeto de Combate à Pobreza Rural chegou a R$ 456.260,88.

A cidade de Pai Pedro foi contemplada com 11 projetos: seis de implementos agrícolas, quatro de aquisição de máquinas agrícolas e um centro social. Na área de implementos, por exemplo, os agricultores receberam equipamentos como pulverizador e plantadeira de tração animal. “Um dos problemas na região é a falta de mão de obra. Mas, com esses implementos, os produtores poderão desempenhar suas atividades no menor tempo possível”, diz o extensionista Alfredo Coelho.

Antes do Projeto de Combate à Pobreza Rural, o município tinha apenas um trator para atender os agricultores. Por meio do PCPR/MG, eles receberam mais quatro. As máquinas são utilizadas no preparo do terreno, no plantio e na colheita do sorgo. “Estes projetos têm ajudado a melhorar a atividade do agricultor familiar. Muitos deles não tinham condições de preparar o solo em tempo hábil”, diz o extensionista Fernando Costa.

O pecuarista João Alves cultiva sorgo para alimentar o gado. Ele e a esposa cuidam sozinhos da plantação. São quatro hectares de área plantada e muito trabalho. Com a chegada dos implementos e dos tratores a vida deles ficou mais tranquila. “Agora eu e minha esposa conseguimos dar conta do serviço com mais facilidade”, diz João Alves.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.