sexta-feira, 4 de Outubro de 2013 05:26h

Período chuvoso aumenta incidência de raios

Com o início do período chuvoso, que deve se prolongar até abril do ano que vem, a população deve ficar atenta para o aumento da incidência de descargas atmosféricas, que pode colocar em risco a segurança das pessoas e interromper o fornecimento de energi

Com o início do período chuvoso, que deve se prolongar até abril do ano que vem, a população deve ficar atenta para o aumento da incidência de descargas atmosféricas, que pode colocar em risco a segurança das pessoas e interromper o fornecimento de energia elétrica. O alerta é da Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig. Em virtude de o Brasil se localizar dentro da zona tropical terrestre, cujo clima mais quente favorece a formação de tempestades, o País tem um dos maiores índices de registros de relâmpagos do planeta.
Minas Gerais é um dos Estados que mais registram a ocorrência de raios por ano. Atualmente, o Estado tem média anual de 1,1 milhão de descargas atmosféricas. Além disso, um levantamento feito pelo Ministério da Saúde e da Defesa Civil, aponta que, entre 2002 e 2012, aconteceram 97 mortes em Minas Gerais em função de acidentes com raios.
O gerente de Segurança do Trabalho, Saúde e Bem-estar da Cemig, João José Magalhães Soares, destaca alguns procedimentos básicos que devem ser adotados durante as tempestades. Segundo o especialista, todos os equipamentos elétricos devem ser retirados das tomadas, evitando risco de queima ou à segurança das pessoas. “Durante as chuvas, o raio pode cair na rede elétrica e chegar às residências por meio da fiação, podendo atingir os moradores.”
Outro ponto importante é que, durante períodos de rajadas de ventos e descargas atmosféricas, as antenas de TV podem se desregular. “Se isso acontecer, ninguém deve subir nos telhados para ajustá-las, pelo risco de queda, de choque elétrico e de ser atingido por um raio”, explica o gerente da Cemig.
De acordo com o especialista, se houver a necessidade de utilizar o telefone durante as tempestades, a melhor opção é o celular, desde que o aparelho não esteja plugado na tomada, ou o telefone sem fio. Porém, nos dois casos, o aparelho não deve ser manuseado em lajes ou em locais descampados.
João José Magalhães alerta, ainda, para os danos que as descargas elétricas podem provocar no corpo humano. “O raio provoca queimaduras gravíssimas e pode provocar parada cardiorrespiratória, que pode levar a pessoa à morte.”
Uma das ocorrências mais graves em redes de distribuição é o fio partido, que acontece na maioria das vezes em dias de eventos climáticos de grande vulto, como tempestades ou ventanias. "Caso alguém se depare com um cabo partido, é imprescindível que se mantenha distante do local, se possível não permitindo que outras pessoas se aproximem, e ligue imediatamente para o Fale com a Cemig, no telefone 116, que funciona 24 horas por dia."
Outro alerta é para a ocorrência de temporais que ocorrem nesse período do ano. De acordo com o meteorologista, Arthur Chaves, da Cemig, as pancadas de chuva são repentinas e intensas. “Uma situação que pode parecer segura muda de uma hora para a outra. Nos anos anteriores, chegou a chover 150 milímetros em um único dia, sendo que cada milímetro equivale a um litro de água por metro quadrado. Não será surpresa se isso acontecer. Por isso, devemos estar preparados.”

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.