quarta-feira, 12 de Setembro de 2012 08:49h Gazeta do Oeste

PMBH abre licitação para construção de estacionamentos subterrâneos

Foi dada a largada para a construção de oito estacionamentos subterrâneos em Belo Horizonte, solução apresentada pela prefeitura para a falta de vagas na capital. Foi publicada nessa terça-feira no Diário Oficial do Município (DOM) licitação para selecionar proposta de interessados no filão. O vencedor deverá pagar, no mínimo R$ 8 milhões aos cofres públicos construir e manter os empreendimentos capazes de abrigar 3,5 mil veículos. Em contrapartida, poderá operar os estacionamentos por 30 anos. Empresas estrangeiras podem entrar na concorrência. Ganha quem pagar mais pela outorga. Para especialistas o projeto vai apenas remediar sem resolver o problema de transporte em BH, cuja frota beira 1,5 milhão de veículos.

 

Formulada com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), a proposta da prefeitura prevê a criação de três estacionamentos na região da Savassi, dois na Praça Sete, um na área hospitalar, um no Barro Preto e um na Avenida Álvares Cabral (veja arte). O projeto representa um total de 3.469 novas vagas no perímetro da Avenida do Contorno até 2017. As obras estão previstas para começar no primeiro semestre de 2013, com a construção do estacionamento na Rua Tomé de Souza, na Savassi, na Região Centro-Sul, e outro na Avenida Pasteur, no Bairro Santa Efigênia, Região Leste.
 

 

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento planeja levar até o fim do mês interessados ao endereço dos empreendimentos e marcou para 30 de outubro a data para abertura e julgamento das propostas. Estudos do BNDES estimam gasto de R$ 94 mil por vaga, o que representa um investimentos total de R$ 330 milhões nos estacionamentos. “Esperamos que o mercado veja com bons olhos o projeto, com rentabilidade proporcional aos riscos. Por ser uma licitação internacional, abrimos a possibilidade do maior número de empresas apresentar propostas”, afirma o secretário da pasta, Marcello Faulhaber.

 

A prefeitura fixou o teto de R$ 7,90 pela hora de estacionamento, com base em pesquisas de mercado. O secretário ressalta que, além da outorga, o concessionário deverá pagar 1% da receita bruta anual para a prefeitura. Caso seja instalada alguma atividade acessória, como loja de conveniência ou banca de revistas, 10% do faturamento deverá ser repassado aos cofres públicos. Segundo Faulhaber, os estacionamentos subterrâneos não implicarão na redução do número de vagas nas ruas e avenidas da capital. Os novos espaços no subsolo correspondem a 16,7% do total de vagas oferecidas pelo sistema rotativo. Atualmente, são 20.943 vagas físicas, o suficiente para atender 91.701 veículos por dia, de acordo com a BHTrans.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.