quinta-feira, 9 de Junho de 2011 10:13h Venilton Ferreira / Liziane Ricardo

Policiais Civis em greve voltam a se manifestar

Agentes de Divinópolis se uniram à manifestação que contou com a adesão dos funcionários da educação, também em greve

Policiais civis de todo o Estado se manifestaram durante toda a tarde ontem (8) em Belo Horizonte para discutir a campanha salarial deste ano. Após assembleia com o Governo, os manifestantes seguiram para a Praça Sete, no Centro da cidade, onde reforçaram o protesto de professores. Já os militares e bombeiros reivindicavam piso salarial de R$ 4 mil e pagamento do abono compensatório ao bônus de produtividade para os militares da reserva, reformados e pensionistas.

 

 

Policiais Civis de Divinópolis seguem para Belo Horizonte em manifestação salarial

 

Cerca de trinta policiais civis de Divinópolis, liderados pela Delegada  Gorete Rios, embarcaram num ônibus com destino à Belo horizonte para se juntar a outras categorias de servidores públicos, numa assembleia geral na Praça da Liberdade, prevista para as 14 horas de ontem (08). Posteriormente os manifestantes iriam se dirigir em passeata até o Tribunal de Justiça e em seguida para a Praça Sete, onde seriam deliberadas algumas ações. 
A categoria está reivindicando a equiparação salarial dos investigadores e escrivães com os peritos e médicos legistas, devido a exigência do nível superior para aqueles profissionais. Os delegados também estão pleiteando uma equiparação dos vencimentos com os defensores públicos e procuradores do estado.


Outro objetivo da Polícia Civil é a contratação de novos policiais. O claro existente é muito grande, principalmente pela aposentadoria especial e pelos baixos salários, que faz com que os funcionários procurem outras carreiras e não continuem na Polícia.


Segundo a Dra. Gorete a Polícia Civil está tendo muitas dificuldades para exercer sua função, tanto pela falta de efetivo quanto pelos baixos salários. “O objetivo é pressionar o Governo para que atenda as reivindicações dos profissionais de segurança pública. As condições de trabalho de toda a categoria precisam urgentemente ser revistas, principalmente no que se refere à questão salarial”, informou a delegada. 


O governador de Minas publicou, na segunda-feira (06), uma tabela de reajuste salarial escalonado, que será concedido da seguinte forma: 7% em dezembro/2011, 10% em outubro/2012, 13% em agosto/2013, 15% em junho/2014, 12% em dezembro/2014 e 15% em abril/2015.


“Esta proposta do Governo é ridícula e não atende de forma alguma o que está sendo pleiteado. Provavelmente, se não houver outra proposta, a categoria deve deliberar pela continuidade da greve por tempo indeterminado”, completou a Doutora Gorete.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.