quinta-feira, 20 de Novembro de 2014 09:23h

Prática do xadrez estimula a concentração e o raciocínio lógico dos alunos das escolas estaduais

Dia Internacional do Enxadrismo é comemorado nesta quarta-feira (19/11). Na rede estadual de ensino, a realização de atividades e de campeonatos é comum

Nesta quarta-feira (19/11), é comemorado o Dia Internacional do Enxadrismo. A data é celebrada na data de nascimento de José Raúl Capablanca, considerado um dos maiores enxadristas de todos os tempos e o único hispano-americano a se sagrar campeão mundial. O dia também é comemorado nas escolas estaduais mineiras, onde a prática do xadrez é comum e é usada para estimular a concentração e o raciocínio lógico dos alunos.

Na Escola Estadual João Parreiras Villaça, em Carmo do Cajuru, o projeto Xeque Mate é realizado anualmente e todo o aprendizado tem início em sala de aula. “Primeiro trabalhamos a parte teórica, como movimentos das peças, parte histórica e benefícios do jogo. Depois partimos para a parte prática e realizamos um campeonato entre os estudantes. Também temos o desafio com os dez melhores”, conta o professor de Educação Física, Carlos Jivago Campos Nogueira.

O Xeque Mate está em sua oitava edição e o professor ressalta os benefícios do projeto. “O xadrez é uma atividade que traz muitos benefícios para a mente humana, além de socialização entre os alunos. Por isso, faz parte dos conteúdos básicos comuns da Educação Física e da Matemática”, conclui.

Os benefícios citados por Carlos Jivago já são percebidos pelo estudante do 6º ano do ensino fundamental, Igor Camargo. “É muito bom jogar. Depois que comecei fico mais concentrado na sala de aula e tenho mais facilidade de aprender”, conta.

Na Escola Estadual Francisca Pereira Rodrigues, em Piraúba, o xadrez também está presente no dia a dia dos estudantes. Todas as segundas e sextas-feiras, os alunos do projeto Educação em Tempo Integral da Secretaria de Estado de Educação participam de atividades que envolvem o jogo. Na escola até a internet é usada para ensinar e estimular os alunos. “Além das aulas em sala, uma vez por mês os alunos jogam online ou contra a máquina. Começamos no nível fácil e hoje já estamos no médio”, ressalta o professor de Educação Física, Willian Ladeira Matos.

O professor destaca ainda a importância de utilizar a internet para ensinar. “Acrescenta no nível de dificuldade, a concentração e silêncio são bem maiores também. Se não tiver silêncio não tem concentração e aí não tem como jogar xadrez. Na escola, o jogo é novidade, mas a aceitação dos alunos é boa”, conclui.

Para comemorar o Dia Internacional do Enxadrismo, nessa quarta-feira foi realizado um campeonato relâmpago na escola e o vencedor da atividade conta como foi. “Joguei contra uns seis ou sete colegas e foi muito bom. O que eu mais gosto no xadrez é quando participamos dos torneios”, afirma aluno do 6º ano do ensino fundamental, Matheus Phelipe Moreira D’Almeida, que ainda dá dicas para quem quer ser um bom enxadrista. “Não existe jogada pronta. Temos que observar as jogadas dos outros e criar a nossa própria estratégia”, explica.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.