terça-feira, 17 de Dezembro de 2013 10:37h

Preço das commodities minerais e agrícolas influenciam mudanças na participação dos municípios no PIB em 2011

A alta no preço do barril de petróleo influenciou as principais mudanças nas participações dos municípios no PIB nacional em 2011. Por exemplo, entre os municípios que geravam pelo menos 0,5% do PIB, Campos de Goytacazes (RJ) teve o maior ganho absoluto de participação, passando de 0,7% do PIB brasileiro em 2010 para 0,9% em 2011 (+0,2 ponto percentual), devido principalmente aos altos preços do petróleo. Já entre as principais perdas de participação, o segmento do refino de petróleo teve retração devido ao preço elevado do petróleo, que impacta diretamente os custos da atividade. Esse fato em conjunto com o elevado estoque e baixo crescimento da indústria automotiva fez com que Betim (MG) passasse de 0,8% para 0,7% do PIB nacional entre 2010 e 2011. São Paulo teve a maior redução na participação no PIB (-0,3 p.p.). O crescimento nominal do valor adicionado bruto da Agropecuária no ano de 2011, 12,5%, refletiu principalmente a elevação dos preços do milho, o café, a cana-de-açúcar e a soja.

Na análise de ganhos e perdas levando-se em conta todos os municípios, vários dos maiores movimentos positivos estavam ligados à atividade agrícola, tanto no que tange à produção quanto ao comércio.

Em 2011, seis capitais concentravam aproximadamente 25,0% da geração de renda do país, das quais cinco se caracterizavam pela concentração da atividade de serviços (intermediação financeira, comércio e administração pública).

Essas e outras informações estão disponíveis na publicação do Produto Interno Bruto dos Municípios 2011, resultado de projeto desenvolvido em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais e a Superintendência da Zona Franca de Manaus – Suframa. A publicação completa do PIB dos Municípios 2011 pode ser acessada na página:

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2011/default.shtm

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.