sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2015 11:57h

Preços de supermercado dão alívio em fevereiro

Os três grupos de produtos acompanhados mensalmente pelo Procon Assembleia ficaram mais em conta

Depois dos apertos com IPTU, IPVA, matrícula, material escolar e outras despesas de início de ano, o consumidor tem uma boa notícia: os preços dos produtos dos supermercados estão dando um alívio para o bolso no mês de fevereiro. Pesquisa do Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizada entre os dias 2 e 3/02/15 mostra redução média de preços nos três grupos de produtos analisados– alimentação, higiene e limpeza. No total foram levantados os preços de 160 itens em 16 supermercados da Capital e da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Consulte a pesquisa completa de preços de produtos supermercados.

No grupo alimentação, no qual foram levantados os preços de 106 produtos, o Procon detectou queda de 0,65%, em média. A redução dos itens de higiene (21 artigos pesquisados) chegou a 0,59%, enquanto que os produtos de limpeza foram os que mais registraram deflação: -3,71% (33 itens).

A pesquisa mostrou queda no preço das cinco marcas de arroz monitoradas mensalmente pelo Procon. O mesmo ocorreu com as três marcas de extrato de tomate. Das seis marcas de café, cinco tiveram redução. No caso do leite, cinco de sete marcas ficaram mais baratas. No preço da manteiga, a redução aconteceu em três das quatro marcas pesquisadas.

Por outro lado, somente uma das quatro marcas de feijão carioquinha analisadas ficou mais barata (Primavera, em -11,90%). As outras encareceram, com destaque para a Pink (10,8%). Todas as quatro marcas de óleo de soja sofreram aumentos entre 4,94% e 7,98%.

Dos 21 itens de higiene, 14 ficaram mais em conta. Todas as marcas de creme dental e sabonete tiveram seus preços remarcados pra baixo. Já no grupo limpeza, 18 dos 33 analisados registraram redução.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.