sábado, 27 de Setembro de 2014 03:05h Pollyanna Martins

Prefeito de Piumhi decreta estado de emergência devido à seca

Produção agropecuária da cidade está comprometida

Credito: Pollyanna Martins

Mais de 140 municípios mineiros já decretaram estado de emergência devido à severa seca que o Estado enfrenta. O prefeito de Piumhi também tomou a medida na tarde de quinta-feira, após se reunir com produtores rurais, representantes da Emater, IBGE, Saae, Cooparaíso Piumhi, Cooxupé Piumhi e Associação dos Agricultores Familiares de Piumhi (AAFAP) e o IMA. Esta é a pior seca dos últimos 104 anos no Estado e atingiu a produção agrícola da cidade, com isso os produtores rurais não tiveram outra saída se não pedir ajuda ao poder público municipal.


Os agricultores alegaram que toda produção agropecuária está comprometida, amargando prejuízos incalculáveis em seus investimentos e ocasionando comprometimento na situação financeira para honrarem seus compromissos. “O decreto visa várias situações. Os produtores não têm produção de grãos com essa seca e não têm como honrar com seus compromissos, então o decreto ajuda os agricultores com o pagamento de empréstimos que foram feitos para a produção. Se não tem produção, não tem dinheiro, então os produtores não terão como pagar suas contas. Mas os bancos precisam de laudos que comprovem a situação dos produtores”, explica o prefeito de Piumhi, Wilson Craide.


Conforme Wilson, com o decreto de emergência a prefeitura irá desenvolver ações de conscientização sobre o uso correto da água. “Ainda não tem racionamento de água na cidade, nós estamos fazendo uma campanha para que a população fique atenta ao desperdício, que não haja, por exemplo, veículos sendo lavados na porta de casa. Nós precisamos que haja um engajamento dentro das propriedades particulares, que todos tomem consciência da falta de água na cidade”, ressalta. Wilson acrescenta que os prédios dos órgãos públicos estão averiguando possíveis vazamentos de água para evitar o desperdício.

 

 

PREJUÍZO PARA 2015
Com a estiagem severa que Minas Gerais enfrenta este ano, o prefeito afirma que, mesmo chovendo, os produtores já têm prejuízos para 2015. “Nós já temos prejuízos para o final deste ano e para o início do outro. A situação é muito grave, nunca antes nós vivemos uma seca como esta. Tem produtor que tem poço artesiano em sua propriedade e não tem água o suficiente para irrigar a plantação, agora imagina quem não tem meio próprio”, destaca. O prefeito acredita que a economia de água irá amenizar o problema na produção agrícola. Oliveira e Carmo do Cajuru também decretaram estado de emergência devido à estiagem prolongada.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.