sábado, 24 de Novembro de 2012 05:15h Gazeta do Oeste

Presépio abre o Natal em BH

Cânticos, novena e devoção. A Arquidiocese de Belo Horizonte dá início, amanhã, aos preparativos para a celebração do Natal. Às 16h, o arcebispo metropolitano dom Walmor Oliveira de Azevedo inaugura o presépio que, pela primeira vez, será montado no terreno da futura Catedral Cristo Rei, na Avenida Cristiano Machado, no Bairro Juliana, na Região Norte da capital. Ontem, a arquiteta da instituição Daniela Duarte de Freitas Oliveira, autora do projeto, acompanhou o serviço e disse que a estrutura será bem simples, de madeira e bambu. Já quem for hoje à Serra da Piedade, em Caeté, na Grande BH, poderá visitar a exposição de presépios de vários países.

No terreno da catedral, a manjedoura onde Jesus nasceu terá 25 metros quadrados de área, com três metros de altura e cobertura de telhas, ficando ao lado uma tenda para a realização da novena de Natal. Daniela explica que o presépio, para receber as imagens da família sagrada, está sendo erguido no meio do terreno, de forma que quem passar na Avenida Cristiano Machado poderá vê-lo. A programação de amanhã inclui recitação do terço, apresentação do coral das Crianças Sonoro Despertar, reflexão sobre tema da novena e sobre a Festa de Cristo Rei e Oração do Ângelus. No dia 25 de novembro é tradicionalmente celebrada da Festa de Cristo Rei. _

Segundo dom Walmor, a força educativa que irradia dos presépios mostra que o Natal é muito mais do que uma época de consumo, caracterizado por lojas cheias, vitrines decoradas e pessoas ansiosas por presentes caros. “O Natal ensina a lição da oferta e do desapego. É tempo de alegria e confraternização, festa que conclama todos para o exercício da caridade. O presépio mostra a humildade de Deus, indicando que ninguém é mais do que ninguém, pois todos são merecedores do gesto nobre e amoroso da encarnação do Verbo”, disse o arcebispo.

Também está sendo preparado o caminho a ser percorrido pelos fiéis que visitarão o presépio –o percurso terá imagens de anjos. A obra singela tem o objetivo de reviver, no terreno da Catedral Cristo Rei, a tradição dos presépios instituída, em 1223 por São Francisco de Assis.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.