quarta-feira, 3 de Abril de 2013 10:40h ALMG - Assessoria de imprensa

Presidente da ALMG recebe membros do Serjusmig

Em greve há 12 dias, os representantes do Sindicato dos Servidores da Justiça de Primeira Instância (Serjusmig) foram recebidos, no Salão Nobre da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), pelo presidente do Parlamento mineiro, deputado Dinis Pinheiro (PSDB). O encontro aconteceu nesta terça-feira (2/4/13) e contou com a presença de centenas de servidores, que realizaram, ainda, manifestação no Hall das Bandeiras do Palácio da Inconfidência.

Uma das principais reivindicações, feita não apenas pelos servidores da Primeira Instância, mas também pelos representantes do Sinjus (Sindicato dos Servidores de Justiça da Segunda Instância) e Sindojus (Sindicato dos Oficiais de Justiça de Minas Gerais), é que o Tribunal de Justiça cumpra uma negociação firmada com o servidores no ano passado e envie para a Assembleia Legislativa um projeto de lei concedendo reajuste salarial escalonado em cinco anos para a categoria. Em entrevista à imprensa, o coordenador-geral do Sinjus, Robert Wagner França, afirmou que, com o reajuste escalonado, ao final dos cinco anos, os menores e os maiores salários do TJ teriam um aumento médio de, respectivamente, 68% e 16%.

De acordo com os membros do Serjusmig, o Projeto de Lei (PL) 3.878/13 do Tribunal de Justiça (TJMG), que tramita na ALMG, prevê o reajuste salarial dos servidores do Poder Judiciário em 5% a partir de 1º de maio. Eles alegam, no entanto, que o índice está atrelado ao reajuste que será aplicado aos ministros do Supremo Tribunal Federal e, com isso, não recompõem, sequer, as perdas inflacionárias. Para eles, o ideal é que o reajuste seja definido com base no IPCA, que deve ser de cerca de 6,5%.

Dinis Pinheiro elogiou a mobilização dos servidores e disse que dá todo o apoio para que a categoria seja atendida em suas reivindicações. No encontro, ele garantiu que irá intervir em favor deles junto ao presidente do TJMG, desembargador Joaquim Herculano Rodrigues. “Não existe democracia sem Justiça. Sabemos do grande volume de trabalho ao qual os servidores estão submetidos, portanto, nada mais justo do que garantir uma remuneração satisfatória à categoria. Queremos evoluir e a Assembleia dará todo apoio nesta conciliação”, disse.

Os deputados Sargento Rodrigues (PDT), Rogério Correia (PT) e Célio Moreira (PSDB) também participaram da reunião e reforçaram seu apoio aos servidores do Judiciário.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.