quarta-feira, 15 de Junho de 2016 17:44h Agência Minas

Presídio de Caratinga amplia o número de vagas a partir da próxima semana

Dezesseis detentos trabalharam durante quatro meses na obra, contribuindo para reduzir o custo final, além de proporcionar a eles remição de pena

O Presídio de Caratinga, no Território Vale do Aço, vai ganhar na próxima semana 20 vagas para detentos, o que representa um aumento de aproximadamente 10% da capacidade atual. A construção do novo espaço foi custeada em sua maior parte, por R$ 43 mil, originários da conta de penas de prestação pecuniária aplicadas pela Justiça da comarca.

Dezesseis detentos trabalharam durante quatro meses, contribuindo para reduzir o custo final da obra, além de proporcionar a eles remição de pena, com desconto de um dia para cada três trabalhados.

A diretora-geral do estabelecimento, Maria Alice Mendes Gomes, explica que novas instalações vão ser usadas em parte para triagem de presos que ingressam no presídio e também para detentos em cumprimento de sanção disciplinar.

 

 

 

“A ampliação de vagas melhora a segurança da unidade e contribui também para um aprimoramento de aspectos operacionais, como a circulação de presos para atendimento psicossocial e médico”, destaca Maria Alice.

O juiz de Execuções Penais da Comarca de Caratinga, Consuelo Silveira Neto, observa que as penas de prestação pecuniária são aplicadas a pessoas que cometem crimes leves, sendo mais do que justo, portanto, que esses recursos sejam destinados a investimentos de melhoria ou ampliação do sistema prisional. Silveira Neto destaca que o Presídio de Caratinga passa a figurar entre as unidades com mais de 200 vagas, o que credencia a unidade a receber mais atenção do Estado.

 

 

 

Trabalho

O detento Charles Paulo da Silva, 32 anos, foi um dos operários que trabalhou na construção das celas, da fundação à pintura. Ele já tinha experiência anterior na construção civil, como servente, popularmente chamado na região ‘pedreiro meia colher’. “Agora, me considero um pedreiro de verdade. Tive uma oportunidade, recebi um voto de confiança e quero ter uma vida diferente quando acabar a pena”, diz Charles.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.