segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011 00:00h

Procon divulga balanço de atendimentos realizados nos últimos meses

Flaviane Oliveira

Quem nunca se pegou diante de um dilema em relação ao serviço da empresa de telefonia celular da qual é cliente ou mesmo teve reclamações a fazer referente a taxas e defeitos de produtos? É no sentido de resolver estas questões que o Procon trabalha junto aos consumidores.

Somente no primeiro mês deste ano foram registrados 1.164 atendimentos no Procon de Divinópolis. Lembrando que os atendimentos nem sempre representam reclamações.

Já no mês de fevereiro, o número de atendimentos até o momento é de 867 registros. Tais números representam dados parciais, que serão atualizados até o fechamento de fevereiro.

De acordo com Thiago Pardini, gerente do Procon em Divinópolis, há um sistema que divide os atendimentos em assuntos específicos, “Nosso sistema se divide em habitação, saúde, serviços essenciais, serviços privados, assuntos bancários e produtos de forma geral. Só o serviço de telefonia que está dentro do serviço privado se destaca mais, e por isso é aberto um tópico só para esse item.

Os produtos de forma geral são separados dos produtos celulares, sendo que os celulares têm um destaque a mais” destacou.

Thiago destaca ainda que as reclamações referentes a serviços de modo geral envolvem as mais diversas naturezas desse segmento, contratação de serviços, contratos, serviços relacionados à área de educação, contratos privados, prestação de serviços de mão de obra qualificada. Saúde e habitação são assuntos pouco demandados no Procon.

Por dia são registrados em média entre 60 e 80 atendimentos, que vai do simples esclarecimento até mesmo a instauração de um processo com audiência de conciliação.

ESTATÍSTICAS

Em janeiro os atendimentos referentes a produtos de modo geral, ficou em primeiro lugar, com o total de 376 reclamações, o que representa 32,30% dos registros gerados. Em segundo lugar ficou o serviço de telefonia, com 22,68 % das reclamações, já em terceiro lugar, os serviços bancários apresentam 17,53% dos registros.

No mês atual, os produtos continuam a liderar o ranking, com 28,26% das reclamações, seguidos pelos serviços, que representaram 26, 41% e a telefonia que sofreu leve aumento se comparado com o mês de janeiro, atingindo 18,57% das reclamações de fevereiro. Já as reclamações quanto aos serviços bancários, apresentaram queda em fevereiro, fechando em quarto lugar, com 14,42% das reclamações.

“Sinto que em relação ao ano passado para esse ano, a reclamação de produto relativa a aparelhos celulares caiu bastante em relação a essa procura. Pode ser que ou os celulares estão sendo fabricados com uma durabilidade maior ou a empresa quando o celular estraga, está dando devida assistência técnica para o consumidor, porque o consumidor vem aqui quando já procurou a empresa e a assistência técnica não resolveu dentro do prazo legal, ou até mesmo já causou mais de uma vez o mesmo defeito. A telefonia sempre está em destaque” afirma Thiago.

PRECAUÇÃO

Após verificar as irregularidades, o consumidor deve entrar em contato com o contratado para tentar solucionar o problema. Caso o mesmo não obtenha o retorno esperado deve procurar o Procon, “Primeira questão é informar sobre o problema.

Para que o Procon inicie os trabalhos, ele deve atender dois requisitos, primeiro, verificar se realmente trata-se de relação de consumo. Uma vez que nós verificamos que tratar-se de relação de consumo é importante que o consumidor tenha a documentação para comprovar esse vínculo. Um contrato, uma nota fiscal, uma ordem de serviço.

Tudo que o consumidor for alegar é importante que ele formalize através de documentação, porque diferentemente da via judicial onde o consumidor pode alegar e a empresa tem que provar o contrário, aqui o consumidor tem que provar o que está alegando. Pelo menos o vínculo que ele tem com a empresa” informou o gerente do Procon.

É fundamental que ao fechar um contrato, o consumidor leia com atenção e confirme se todos os termos estão de acordo com o combinado.

ATENDIMENTO

Após a confirmação do que se trata a reclamação, o Procon, entra em contato direto com a empresa através dos canais especializados.
Empresas de telefonia têm até cinco dias para dar um parecer.

Se o problema não for resolvido por contato telefônico ou o mesmo for ineficaz, a empresa é notificada preliminarmente. Por isso é necessário que todos os documentos sejam entregues durante reclamação sempre em duas vias, porque uma cópia fica no Procon e a outra vai para a empresa reclamada.

A empresa tem até 10 dias para esclarecer os fatos e resolver a pretensão do consumidor. Caso a empresa não resolva neste prazo é instaurado um processo administrativo e a empresa passa a ter a denominação de empresa reclamada e o consumidor de reclamante e é instaurada uma audiência de conciliação para que nesta oportunidade, dentro da audiência a empresa possa apresentar a defesa formalizada, proposta de acordo diversa do consumidor ou atender a pretensão do consumidor, sobre pena da empresa ser multada.

Produtos em geral e telefonia celular são alvo de reclamações constantes no Procon


Somente no primeiro mês deste ano foram registrados 1.164 atendimentos no Procon de Divinópolis. Lembrando que os atendimentos nem sempre representam reclamações.

Já no mês de fevereiro, o número de atendimentos até o momento é de 867 registros. Do total de atendimentos, mas de 50% representam clientes descontentes com telefonia e produtos adquiridos.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.