quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2013 10:30h Jornalista responsável: Ivani Cunha

Produtor de abacaxi em Minas prevê reação do mercado

Retração da oferta no Norte do país é um dos indicadores

Os produtores mineiros de abacaxi apostam no aumento de vendas, principalmente da variedade Havaí, a partir de março. Há indicadores de redução da oferta do fruto atualmente na região Norte do Brasil, principalmente Estados do Pará e Tocantins, grandes produtores. Um dos municípios de Minas que poderão se beneficiar deste cenário, inclusive aumentando as vendas para aqueles mercados, é Canápolis, na região do Triângulo.

 

Terceiro maior produtor de abacaxi do Estado, Canápolis tem um volume do fruto suficiente para atender aos mercados tradicionais e ainda embarcar para outros Estados. O agricultor Celismar Gouveia de Moura (Fazenda Córrego Cerrado) acredita que a recuperação do mercado, a partir do terceiro mês do ano, deverá compensar a retração dos negócios registrada no final deste verão.

 

“O período de altas temperaturas geralmente favorece o aumento das vendas, mas a demanda pelo abacaxi ocorre o ano inteiro”, diz Moura. Segundo o agricultor, os produtores que têm condições de atender às regiões mais distantes obtêm maior receita porque a demanda em estados como os do Sul é grande e não há plantações de abacaxi em razão das geadas.

 

Moura acrescenta que um dos motivos da boa aceitação do Havaí é a possibilidade de manter o produto em oferta durante muito tempo. “Além de agradar como produto de mesa, a variedade é a mais procurada pelas indústrias”, diz. “Por isso, conseguimos concorrer com o nosso produto nos mercado de Tocantins e Pará inclusive nas fases de grande produção do abacaxi tradicional dessas regiões, o Pérola”.

 

Em 2012, a Córrego Cerrado colocou no mercado 800 toneladas de abacaxi. Além de atender às duas indústrias do município, Moura enviou a fruta para outros Estados. “Apenas o Rio de Janeiro não está relacionado entre os destinos do nosso produto no Brasil”, observa. O preço médio alcançado com a venda do abacaxi é da ordem de R$ 0,60 o quilo, mas nas melhores fases do mercado a cotação pode chegar a R$ 1,00 e o lucro do produtor alcança 25% em média.

 

Safra equilibrada

 

De acordo com o IBGE, o volume de abacaxi produzido em Minas em 2012, cerca de 250,6 milhões de unidades, foi praticamente o mesmo registrado no ano anterior. A área plantada teve um crescimento de 9,6%, alcançando 8,5 mil hectares, com destaque para o Vale do Jequitinhonha/Mucuri, que apresentou evolução de 58,15%, atingindo 563 hectares.

 

Ainda segundo os dados do IBGE, os cinco municípios maiores produtores da fruta no Estado (Monte Alegre de Minas, Frutal, Canápolis, Centralina e Fronteira), todos localizados na região do Triângulo, responderam por 83,5% da safra estadual de abacaxi em 2012. Canápolis alcançou uma produção de 51 mil toneladas.

 

Conforme dados da Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), sediada no município de Janaúba, as lavouras de abacaxi de Canápolis produzem atualmente um volume 13% superior ao registrado há cinco anos, mantendo a mesma área plantada.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.