segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011 00:00h

Produtores de tomate da região Centro-Oeste de Minas Gerais criam Central de Negócios

Minas Gerais acaba de ganhar uma central de negócios formada por produtores de tomate. A Unicenter começou a funcionar no final deste mês e é uma iniciativa do Sebrae-MG e dos produtores de seis municípios do Centro-Oeste de Minas: Florestal, Pará de Minas, Onça de Pitangui, Pequi, Maravilhas e São José da Varginha.

A solenidade de inauguração da Unicenter, na sexta-feira (25), em Pará de Minas, contou com a presença do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Elmiro Nascimento.

Minas Gerais é o terceiro maior produtor de tomate do país, com 406 mil toneladas anuais. O volume representa 11% da produção nacional. A região Centro-Oeste produz cerca de 36 mil toneladas e é responsável por 65% da produção vendida na Ceasa da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Durante a inauguração da Central de Negócios, o secretário Elmiro Nascimento destacou o importante papel da central em Minas Gerais. “Com a Unicenter, o trabalho será voltado para a redução do uso de defensivos agrícolas, melhoria da qualidade do produto e expansão do mercado”, afirmou.

O projeto teve início há seis anos, com produtores de tomate das seis cidades. Com a consultoria do Sebrae-MG, eles já conseguiram diminuir os custos de produção e aumentar os lucros. Entre os resultados, está uma economia de 15% a 20% com as compras em conjunto de defensivos agrícolas, fertilizantes, sementes e insumos.

De acordo com o presidente da Central de Negócios, Milton Moreira Duarte, com o aumento da produção e melhoria da qualidade é possível vender o tomate a preços mais competitivos diretamente para os supermercadistas e sacolões, evitando os atravessadores.

“O preço da caixa de 20 quilos de tomate varia de R$ 20,00 a R$ 25,00. Com a venda direta, poderíamos aumentar de 10% a 20% esse valor”, acredita o presidente.

Outro benefício da união é a produção contínua durante o ano. Na entressafra, os produtores fazem a rotação de cultura. Neste período, são produzidos abóbora italiana, pepino, jiló e pimentão.

Ainda para este ano, está prevista a construção de um barracão do produtor em Pará de Minas, onde os tomates serão selecionados de acordo com os padrões de qualidade. “Queremos expandir a nossa parceria com o Sebrae para que os produtores de todo o Estado sejam beneficiados com ações desta natureza”, disse o secretário Elmiro Nascimento.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.