sexta-feira, 2 de Maio de 2014 06:52h

Professores e alunos trabalham forte a menos de um mês da Obmep

As provas da 1ª etapa da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas serão no dia 27 de maio.

Falta menos de um mês para a prova da 1ª fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). Em todo o Estado, alunos da rede estadual do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio se preparam para repetir a performance dos anos anteriores, quando Minas mostrou o melhor desempenho do país na competição.

Na 1ª fase, todos os alunos fazem as provas, que serão realizadas nas escolas no dia 27 de maio. “Como a 1ª fase é com a participação de todos, o trabalho é feito principalmente dentro de sala de aula. Utilizamos provas anteriores, grupos de estudos, trabalhamos atividades em avaliações, por exemplo. O que mais ajuda é fazer as questões anteriores”, afirma a professora de Matemática da Escola Estadual D. João VI, em Alpinópolis, no Sudoeste de Minas, Selma Ribeiro da Silva Bastos. E os alunos da escola, que oferece do 1º ano do ensino fundamental ao 3º do ensino médio, começam o treinamento cedo: no 5º ano começam a fazer, em sala, questões da Olimpíada. O trabalho feito pela escola está dando resultado: são cinco anos consecutivos com premiação e, até agora, três medalhas de ouro na Obmep, além de uma de prata na Olimpíada Mineira de Matemática.

Entre os campeões da escola está Jean Lima Alves. No 9º ano do ensino fundamental, ele já tem três premiações, uma para cada ano em que participou, uma menção honrosa no 6º ano seguida por duas medalhas de bronze. Esse ano, ele espera mais que o bronze. “Tenho expectativa boa. Fiz o curso do Programa de Iniciação Científica (PIC) e o pessoal da escola ajuda, nos dá provas anteriores. Nesse último mês antes da prova vou tentar pegar mais provas antigas, usar o banco de questões”.

Com a proximidade da prova, o trabalho da escola é maior na conscientização dos alunos. “Fazemos uma reunião com todos para ver se vão ter interesse, se não vão faltar no dia da prova. Também destacamos os alunos que já venceram. Colocamos faixa na porta da escola, damos uma volta com eles em uma caminhonete, colocamos no jornal da cidade, fazemos tudo pra aparecer bastante e um vai puxando o outro e mais alunos participam”, diz a professora.

Na Escola Estadual Professor José Américo Barbosa, em Mato Verde, no Norte de Minas, há também a preocupação com a hora da prova, principalmente a concentração dos alunos enquanto respondem as perguntas que, na 1ª fase, são fechadas. “Falamos da importância da prova, procuramos despertar o interesse do aluno, o empenho de fazer a prova”, afirma a professora de Matemática da Escola, Laís Conceição Silva de Souza.

Para a prova que acontece nesse mês, os exercícios são passados para os alunos em sala. Os que são classificados para a 2ª fase, cujas provas serão aplicadas em setembro, estudam na escola no contraturno, em grupos de estudos. Para a professora, esses alunos mudam com a participação na competição. “Eles ganham conhecimento, o interesse deles na Matemática se torna outro”.

Giordano Gardel dos Santos Almeida, aluno da Escola Estadual Professor José Américo Barbosa, está no 8º ano. Na prova do ano passado conseguiu o prêmio máximo: uma medalha de ouro. Esse ano, seu objetivo é chegar à mesma conquista. “No ano passado eu estudei bastante, procurei ficar tranquilo e, no dia da prova, eu estava bem concentrado. Esse ano, estou fazendo como no ano passado para conseguir passar para a segunda fase e conseguir uma medalha de ouro”.

Esse ano, Giordano vai para o Nível II e a competição fica mais difícil. “Com certeza fácil não vai ser, tenho que me preparar mais que me preparei no ano passado”. E no último mês antes da prova, Giordano tem que trabalhar mais para conseguir os resultados que espera. “Agora estou no pique da Obmep e vou fazer mais exercícios”.

Na capital mineira, as escolas também trabalham por medalhas. A Escola Estadual Presidente Tancredo Neves participa desde a terceira edição da competição – que está em seu 10º ano. “Desde que começamos sempre temos pelo menos uma menção honrosa. Para preparar os alunos, damos exercícios da Obmep como uma prova mensal e avaliamos os acertos, o comportamento durante a prova e se os alunos anotaram na prova as contas que fizeram”, conta a professora de Matemática Elizabeth da Silva Ribeiro.

Um ex-aluno da escola terminou lá a educação básica e colheu os frutos do bom desempenho que teve na Olimpíada desde que começou a competir, no 8º ano do ensino fundamental. Lucas Silva Reis conquistou, em cinco anos, cinco medalhas. Desde que ganhou a primeira, ele participa de aulas do curso de Iniciação Científica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e, no último ano do ensino médio, já tinha feito algumas disciplinas do curso de Matemática, que faz hoje na instituição, e pôde adiantar parte dele.

Obmep 2014

No dia 27 de maio, Minas Gerais terá quase dois milhões de alunos de escolas públicas participando da primeira etapa da 10ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). Ao todo, a competição teve 18.187.971 inscritos, sendo que 1.936.366 destes são mineiros. Minas Gerais é o segundo estado com maior número de alunos inscritos na primeira etapa da olimpíada, ficando atrás apenas do estado de São Paulo, que é o maior do país em número de habitantes e conta com 3,5 milhões estudantes cadastrados. Os dados são da coordenação da competição.

Em 2013, os estudantes mineiros conquistaram pela sétima vez consecutiva o topo do ranking da Obmep, tanto em número total de medalhas, quanto em número de medalhas de ouro. De acordo com o site da Obmep, foram 148 ouros conquistados, 253 pratas e 1199 bronzes. Um total de 1600 medalhas, além de 9.146 menções honrosas.

Obmep na Escola

Para melhorar o desempenho dos estudantes de todo o país nas provas da Olimpíada, o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) criou o programa ‘Obmep na Escola’, que pretende estimular o uso dos materiais da Olimpíada em atividades extraclasse por professores que atuarão como “preparadores”. Educadores que tiverem interesse em participar podem se inscrever até o dia 16 de maio pelo site www.obmep.org.br. Ao todo, serão selecionados mil professores das redes estadual e municipal, que terão que submeter um projeto no prazo estipulado, sendo que o projeto deverá apresentar propostas de atividades extraclasse com os alunos das escolas públicas onde lecionam ou em escolas públicas vizinhas.

A partir de março de 2015, os preparadores do Programa Obmep na Escola receberão por um ano uma bolsa da CAPES no valor mensal de R$ 765,00 para realizarem suas atividades. Clique aqui e confira o regulamento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.