quinta-feira, 29 de Setembro de 2011 13:59h Atualizado em 1 de Outubro de 2011 às 18:45h. Natalia Santos

Professores voltam às aulas hoje depois de 112 dias de greve

Depois de 112 dias e um dia inteiro de manifestação em frente a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, os professores voltam às salas de aulas hoje, 29 de setembro. A decisão foi aceita na noite de terça-feira (27) em Belo Horizonte, com o pedido de suspensão da greve proposto pelo Governo Estadual. As negociações vão continuar a partir de agora, no entanto com os professores dentro das escolas.

 

 

Maria Catarina Vale, coordenadora do Departamento de Políticas Sociais de Comunicação e Imprensa do Sind-Ute Divinópolis garantiu que os professores não vão parar de lutar por seus direitos. Ela esteve na capital nessa terça-feira e apontou a união da classe que para ela foi firme e ficaram mais de cem dias de greve, o que resultou no despertar do Governo. “Nós vencemos todas as armas que o Governo utilizou para derrotar esta categoria. O piso foi um dos maiores pontos conquistados. Agora ele reconhece o piso nas carreiras. Ganhamos a valorização tanto da escolaridade quanto o do tempo de serviço. Nós batalhamos por todas as categorias que trabalham dentro da escola”, confirmou Catarina.

 

Depois de assinar o termo de compromisso com o governo. Os professores de Divinópolis se reuniram ontem, 28 de setembro para repassar as informações da capital. No encontro foram passadas as recomendações e orientações do Sind-Ute de Minas Gerais. Com isto, os professores da cidade também voltam para as escolas hoje. “Suspendemos a greve confiando no Estado. E para dar continuidade nas negociações foi criada uma comissão para realizar os acordos. E assim nós vamos trabalhar e os outros vão continuar lutando por nossos direitos”, afirmou a sindicalista.

 

 

O acordo firmado entre o Governo Estadual e o Sind-UTE/MG, previu a suspensão da paralisação parcial dos servidores de educação da rede pública estadual e o imediato retorno dos professores às salas de aula, o que já foi atendido. A suspensão da tramitação do Projeto de Lei enviado pelo Governo de Minas à Assembleia Legislativa e a suspensão da aplicação de novas penalidades que seriam adotadas em decorrência da ilegalidade da paralisação decretada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais e confirmada pelo Supremo Tribunal Federal. Além disto, pediram também a formação de uma comissão de negociação composta por parlamentares e por representantes do Sind-UTE/MG e do Governo de Minas, comissão esta que já foi formada ontem.

 

REPOSIÇÃO

 

 

O governador Antônio Anastasia (PSDB) informou na manhã de ontem que os professores não vão receber pelos dias parados. Os servidores ficaram 112 dias em greve e decidiram suspender a paralisação no fim da noite de terça-feira. De acordo com Anastasia, os educadores serão pagos quando começarem a reposição das aulas. Segundo ele, todos os valores que foram descontados durante a paralisação serão repostos mês a mês depois das aulas efetivamente dadas.

 

A Secretaria Estadual Educação (SEE) montou um calendário para repor os dias de aulas perdidos. Segundo Anastasia, as escolas que ficaram 100% paradas só devem conseguir concluir o ano letivo em março de 2012. O governador ressaltou o prejuízo dos alunos durante esses meses sem aulas e afirmou que vai abrir diálogo com os professores para evitar novas greves nos próximos anos. Ele lamentou os “atos estranhos à conduta sempre ordeira e calma aos mineiros” promovidos pelos educadores.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.