terça-feira, 31 de Janeiro de 2012 19:10h Atualizado em 1 de Fevereiro de 2012 às 11:09h. Cristiane Fernandes

Profissionais da educação já podem acessar portal e verificar projeção de remuneração até 2015

O Governo de Minas Gerais lançou o modelo unificado para remuneração e os profissionais de educação terão acesso aos valores do contracheque através do Portal do Servidor e poderão ainda verificar a projeção da remuneração até o ano de 2015


O Governo de Minas implantou um modelo unificado de remuneração à partir de fevereiro, os profissionais de educação poderão consultar a projeção do valor do contracheque até 2015. Os educadores poderão acessar o Portal do Servidor e vão encontrar um documento com o posicionamento no modelo unificado de remuneração, adotado em Minas Gerais.
Ao acessarem o portal, os servidores públicos terão acesso ao valor a ser recebido no contracheque de fevereiro e também verificar a projeção até 2015. O servidor terá uma senha particular e fará um acesso individual para ter consciência da própria situação dentro da escola “o portal é de exclusivo acesso  para o servidor público, ele tem uma senha e o acesso é individual e através do sistema eles vão conseguir verificar a sua situação na escola” informou Célio Serafim, coordenador de pagamento da Superintendência Regional de Ensino de Divinópolis.
Com o portal, os profissionais de educação vão ter muitas vantagens, de acordo com o coordenador de pagamentos o profissional vai ter acesso a situação frente a escola, verificar a movimentação, férias, faltas e outros serviços. Além disso, com esse modelo implantado, 65% dos professores vão receber reajuste superior a 50% em relação aos valores recebidos em Dezembro de 2010. Esse reajuste será feito de forma escalonada até 2015. Com o modelo unificado os professores estarão assegurados de receber remuneração acima do piso nacional da educação e não ganharão menos de R$1.320,00 por jornada de 24 horas semanais.
O novo modelo levará em consideração o tempo de serviço do servidor, Serafim afirma e diz que vale todo tempo trabalhado no Estado, enquanto ocupante de cargo efetivo ou designado na Secretaria de Estado de Educação. Porém, quando o servidor precisar se ausentar devido a Licença para Tratar de Interesses Particulares (LIP), licença por motivo de doença em pessoa da família, faltas, adjunção e disposição sem ônus para o Estado, bem como Afastamento Voluntário Incentivado (AVI) terão os dias descontados. Os servidores aposentados que fazem jus à paridade, os critérios de contagem de tempo são os mesmos previstos para os servidores em atividade, porém neste caso o tempo será contado até a data da aposentadoria, ou até a data do afastamento preliminar à aposentadoria.
Em caso de greve, os professores não terão os dias descontados, mas somente receberão o salário após terem reposto as aulas “quando os professores entram de greve eles recebem o salário, mas eles têm que repor as aulas perdidas, caso contrário não vão receber e cabe a escola enviar os nomes dos professores para ser realizado o pagamento” reforçou o coordenador.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.