segunda-feira, 9 de Julho de 2012 13:27h Atualizado em 9 de Julho de 2012 às 13:32h. Mariana Gonçalves

Programa “De olho na Validade” é lançado nos supermercados de Minas Gerais

O programa “De olho na Validade”, foi lançado pela Associação Mineira de Supermercados (AMIS) com o objetivo de incentivar tanto o estabelecimento quando o consumidor a prestar mais atenção nas datas de validade dos produtos. O programa funciona da seguinte maneira: O consumidor que encontrar algum produto com validade vencida poderá levar para casa, gratuitamente, um outro idêntico ou similar, mas que esteja dentro do prazo de validade. O projeto que por enquanto é realizado em São Paulo e Minas Gerais, foi protocolado pela Associação de supermercados para que seja encaminhado aos demais Estados, para que todos os estabelecimentos possam aderir ao programa "De Olho na Validade".

 


As entidades que assinaram o protocolo foram o Ministério Público de Minas Gerais, o Fórum dos Procons Mineiros, o Movimento das Donas de Casa de Minas Gerais e a Associação Mineira de Supermercados (Amis).

 

O programa visa beneficiar todo o setor de supermercados e os consumidores. Isso incentiva o consumidor a conferir o prazo de validade antes de comprar e estimula o comércio a melhorar os processos de controle. Por enquanto a adesão dos supermercadistas é voluntária. Um total de 60 redes de supermercados empresas já aderiram ao programa, num total de 80% das vendas do setor em Minas. Nas lojas participantes serão afixados cartazes em pontos de maior circulação de consumidores informando para que os consumidores saibam do projeto.

 

O programa "De Olho na Validade" foi criado em São Paulo, no ano passado, por iniciativa da Fundação Procon São Paulo e da Associação Paulista de Supermercados (Apas). Os resultados agradaram tanto que Minas Gerais resolveu aderir a este movimento. A meta é melhorar a qualidade dos serviços prestados nos supermercados e criar  no consumidor o hábito de conferência das informações dos produtos.

 

A vendedora Idalena Dias, conta que na maioria das vezes a data de validade do produto passa despercebido. “Geralmente eu venho no supermercado correndo, tenho que comprar tudo rápido, por isso nem fico olhando as datas de vencimento não”, comenta. Outro que também não da muita importância para o prazo de validade, e João Cezar, “Eu não tenho costume de olhar não, as vezes quando já estou em casa é que vejo”, afirma.

 

Mas diferente das pessoas que não prestam atenção no prazo de validade do produto, Anisía Martins conta que já teve problemas com produtos vencidos, e hoje olha cada embalagem “Todo produto que venho comprar olho as datas da validade, já passei mal com produtos que estavam estragados, agora olho tudo antes de comprar”,conta.

 


Em Divinópolis, uma das redes de supermercados da cidade, já entraram no programa ‘De olho na Validade’, segundo Cristian Ricardo Ramos, o estabelecimento possui na entrada o cartaz divulgando o programa. A medida já esta valendo, o cliente que encontrar um produto fora da data de validade, pode obter o mesmo produto ou um produto similar, que esteja nos padrões aceitos de validade, de graça.

 

RECOMENDAÇÕES

 


Mas, vale lembrar que ao comprar qualquer mercadoria, o consumidor deve ficar atento aos métodos de acondicionamento, temperatura e estado da embalagem. A regra vale para todos os produtos encontrados nas áreas de vendas dos supermercados e antes de passar pelo caixa. Para os casos em que o cliente perceber o problema em casa, cabe ao Código de Defesa do Consumidor, autorizar a troca da mercadoria, mediante apresentação de nota fiscal do produto. 

 

O comerciante que for flagrado vendendo ou mantendo a mercadoria no ponto de venda ou no estoque está sujeito a multa ou a detenção de dois a cinco anos, se condenado. A compensação para o consumidor não desobriga o estabelecimento de recolher imediatamente todos os produtos com prazo de validade vencidos. Qualquer problema é importante que o consumidor comunique as irregularidades aos órgãos competentes, como Procon, Decon (Delegacia do Consumidor) e Vigilância Sanitária, para que a mercadoria estragada, vencida ou em más condições de armazenamento seja apreendida.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.