quinta-feira, 7 de Maio de 2015 10:41h

Programa estimula soluções inovadoras na área de saúde

Pesquisadores da Funed recebem apoio para transformar projetos científicos em ideias de negócios

Medicamentos avançados, vacinas e tecnologias que ampliam as soluções para tratamento de doenças, controle de epidemias e melhoria da qualidade de vida da população. Esses são alguns dos temas dos 17 projetos da Fundação Ezequiel Dias (Funed) apoiados pelo Programa de Incentivo à Inovação (PII), promovido pelo Sebrae e pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes). Os resultados desta edição do PII estarão em uma publicação especial que será lançada no dia 12 de maio, em Belo Horizonte.

“Estimular os pesquisadores e incentivar a produção de novas tecnologias é fundamental para que tenhamos avanços significativos nas mais diversas áreas, inclusive na saúde, como é o caso deste importante projeto”, afirma o secretário da Sectes, Miguel Corrêa.

Criado em 2006, o PII veem estimulando a criação de tecnologias, produtos e processos inovadores para o mercado, a partir do conhecimento gerado nas instituições de ensino. “Queremos fazer uma mudança cultural nas universidades e nos pesquisadores, com a disseminação da cultura empreendedora, a obtenção de novos recursos para pesquisa e a possibilidade de geração de empregos para estudantes graduados e pós-graduados”, explica o gerente da Unidade de Acesso à Inovação e Sustentabilidade do Sebrae Minas, Anízio Dutra Vianna.

A realização desse programa na Funed estimula a pesquisa no setor de saúde humana e animal, e projeta soluções para o mercado, viabilizando o desenvolvimento de protótipos e planos de negócios. “A Funed tem tradição em inovação e o PII é um importante instrumento para transformar nossos projetos em soluções concretas para o Sistema Único de Saúde”, diz o presidente da Funed, Renato Fraga.

O PII foi apresentando aos pesquisados da Funed em 2013. Neste período o programa teve a adesão de 41 projetos com grande potencial inovador. Desses, 17 receberam recursos para a construção dos protótipos e para o desenvolvimento de planos de negócios, importante para a avaliação do potencial prático do produto, processo ou serviço estudado, como por exemplo, a análise do caráter inovador, benefícios, vantagens e riscos do projeto.

Na publicação, que será lançada na próxima semana, estão projetos como o própolis que está sendo usado na prevenção e tratamento do câncer de boca, novo fitoterápico contra o rotavírus, medicamento para artrite com base no veneno da abelha e um biossensor para controle de alimentos.

Resultados

Em nove anos, o PII já foi realizado em universidades, faculdades e centros tecnológicos de Lavras, Itajubá, Juiz de Fora, Viçosa, Uberlândia e Belo Horizonte. Ao todo, foram 15 programas no estado, com 280 projetos de pesquisa selecionados e publicados.

Até 2014, o programa teve um investimento de cerca de R$ 23 milhões, captados de órgãos de fomento, investidores, venda de patentes e transferência de tecnologia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.