sexta-feira, 10 de Junho de 2016 16:42h Atualizado em 10 de Junho de 2016 às 16:49h. Agência Minas

Programa viabiliza e incentiva utilização de cana-de-açúcar para alimentação bovina

Parceria entre Epamig, Emater, Coopersete e Sindicato dos Produtores Rurais de Sete Lagoas disponibiliza mudas de qualidade para produtores rurais na região

Alimento de importância estratégica para a nutrição do rebanho bovino, a cana-de-açúcar tem sido amplamente utilizada e difundida na região de Sete Lagoas, no Território Metropolitano. Uma parceria entre o Governo de Minas Gerais, Cooperativa de Produtores Rurais de Sete Lagoas (Coopersete) e o Sindicato dos Produtores Rurais de Sete Lagoas é responsável pela ampliação do uso da cana na região.

Desde 2013 a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) testa variedades melhoradas no Campo Experimental Santa Rita, em Prudente de Morais, e as disponibiliza para os produtores de leite locais. A ideia é viabilizar mudas de cana-de-açúcar produtivas e de qualidade para a alimentação do rebanho leiteiro.

Segundo o pesquisador da Epamig, Geraldo Macedo, o principal objetivo do projeto é acelerar o processo de distribuição e disseminação das mudas melhoradas de cana-de-açúcar. “Já pesquisávamos novas variedades com potencial genético para a região, então queríamos acelerar o processo, para os produtores terem acesso aos resultados”, explica.

 

 

 

Hoje, a Epamig tem cinco variedades de cana-de-açúcar melhoradas, que são fornecidas aos cooperados da Coopersete. A cooperativa seleciona anualmente os produtores de leite interessados, que recebem entre 2 mil a 5 mil quilos de cana para plantar.

“Os produtores que recebem as mudas têm o compromisso de implantar o canavial em suas propriedades e, na primeira colheita, precisam colocar metade da cana à disposição de outros produtores e cooperados, na forma de mudas”, ressalta Macedo.

Desta forma, os produtores viram multiplicadores do projeto e da cultura como opção para alimentação do rebanho na região. As variedades disponibilizadas para a multiplicação, RB86-7515, RB92-8064, RB92579, RB98710, IACSP93-3046, além de terem bom potencial produtivo e nutritivo, são apropriadas também para outros fins, como fabricação de cachaça, rapadura, açúcar mascavo.

 

Produtores mantêm canaviais e reduzem custos na região de Sete Lagoas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Morador de Sete Lagoas, o produtor rural Marcelo Candiotto, 60 anos, foi um dos primeiros multiplicadores do projeto. “Antes, eu não tinha cana aqui para alimentar o gado. Hoje, tenho diversas variedades, mas a que mais se destaca é a RB86-7515, que recebi da Epamig, porque, além de ser mais produtiva e aguentar bem a seca, ela não tem aquele pelinho da cana que dá coceira quando a gente colhe”, relata.

Candiotto observa que o trabalho foi bem disseminado na região, já que diversos produtores de leite hoje mantêm canavial com diversas variedades de cana-de-açúcar. “Alimento 150 animais com a cana que tenho aqui, que é um alimento produtivo, barato e que fornece fibra para o rebanho. Por isso, muita gente está trabalhando com a cana também”, conclui.

De 2013 até agora, 20 produtores cooperados receberam cerca de 100 mil quilos de mudas das cinco variedades melhoradas. Essa quantidade de mudas fornecidas possibilitou a formação de dez novos hectares de viveiros multiplicadores, o que, por sua vez, permite produzir mudas suficientes para o plantio de mais 90 hectares de canaviais na região. “Para cada hectare de muda, são produzidas plantas que permitem implantar até mais 10 hectares”, calcula o pesquisador da Epamig, Geraldo Macedo. 

Emater-MG também é parceira no projeto, fornecendo informações, orientação e capacitação técnica aos produtores.

 

 

 

Chamada Pública do Leite

No ano passado, o produtor rural de Funilândia, Raul Diniz, 73 anos, recebeu uma das variedades melhoradas da Epamig. Ele é um dos cinco beneficiados participantes da Chamada Pública do Leite, programa criado em parceria entre Emater e o Governo Federal que tem como foco a bovinocultura leiteira e visa melhorar as condições de produção, aumentar renda e melhorar a qualidade de vida das famílias beneficiadas.

“Ampliamos o fornecimento de mudas a produtores participantes da Chamada Pública da Cadeia Produtiva do Leite, que já receberam um total de 6.125 quilos de cana, que auxiliarão na alimentação de seus rebanhos”, conta o pesquisador da Epamig em Prudente de Morais, Geraldo Macedo.

A cana plantada no terreno de Diniz é utilizada para complementar a dieta do gado, que é reforçada com silagem de milho e sorgo. “Só que a cana dura muitos anos e é bem mais barata”, diz o produtor.

Assim que o canavial vingou, três vizinhos quiseram as mudas, que foram doadas como parte do compromisso de multiplicação firmado com a Epamig. “Dou nota 10 para o programa. A cana é boa, e, se precisar, eu forneço mais mudas esse ano”, completa Diniz.

 

 

 

Como participar

A Epamig disponibiliza as mudas, mas quem seleciona os beneficiados é a Cooperativa de Produtores Rurais de Sete Lagoas (Coopersete). A entrega, normalmente feita entre os meses de março e abril, agora será feita no início do período chuvoso, em novembro, devido a uma detecção da produtividade da cana, que é melhor nesta época.

“Apesar de os cooperados serem o público alvo, qualquer produtor interessado pode procurar a cooperativa para ser orientado e conseguir receber mudas, por exemplo, de um dos multiplicadores daquele ano”, explica o pesquisador Geraldo Macedo.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.