quarta-feira, 16 de Abril de 2014 06:41h

Projeto da Emater-MG em São Félix de Minas recebe material do IEF para proteger nascentes em propriedades da agricultura familiar

Uma antiga demanda de agricultores familiares de São Félix de Minas, no Vale do Rio Doce.

Uma antiga demanda de agricultores familiares de São Félix de Minas, no Vale do Rio Doce, de proteger as nascentes de suas propriedades rurais, começa a ser viabilizada. Materiais como mourões de eucalipto, arames, grampos, balancins, mudas de plantas nativas e adubos, já estão sendo entregues para onze produtores do município. A iniciativa, do Instituto Estadual de Florestas (IEF), que está doando os insumos para fomento florestal das Áreas de Preservação Permanentes (APPs), tem a parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente.

A ação, segundo o extensionista agropecuário da Emater-MG, Roney Monteiro, atende aos objetivos do Programa de Recuperação e Preservação de Nascentes do Córrego Alto de Mantena, Cabeceira do Rio São Mateus, elaborado pela empresa em agosto de 2013. “O projeto objetiva recuperar, reflorestar, proteger e preservar as nascentes do Córrego Alto de Mantena e a cabeceira do Rio São Mateus, em São Félix de Minas, incluindo topos de morros e áreas de mananciais que estão em estágio de degradação”, explica. De acordo com Monteiro, inicialmente será protegida uma área equivalente a 9,5 hectares de nascentes e topos de morro.

Ainda conforme o técnico da Emater-MG, o projeto prevê a proteção de um total de 50 hectares até o final de 2015 para cerca de 40 produtores. “O trabalho visa assegurar recursos hídricos, dos quais dependem, diretamente, a população, a fauna e flora da região”, argumenta. Roney acrescenta ainda, que o escritório local da Emater-MG é responsável pelo cadastro dos interessados em participar, mas que, para aderir ao projeto, o agricultor precisa se comprometer em bancar a mão de obra. “Quando há interesse, a gente vai no campo e faz o cadastro, que posteriormente é enviado para o IEF”, esclarece.

O escritório da Emater-MG de São Félix presta assistência a cerca de 300 produtores locais. A pecuária leiteira é a principal atividade do meio rural do município e a agricultura familiar é o segmento predominante na região.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.