quarta-feira, 10 de Junho de 2015 12:44h Atualizado em 10 de Junho de 2015 às 12:47h.

Projeto Patrulha Escolar promove boa convivência em escolas da rede estadual

Programa que reforça a ação do militar como parceiro conciliador da comunidade é aprovado por educadores, alunos e vizinhos

Patrulha Escolar, programa desenvolvido pela Policia Militar de Minas Gerais (PMMG) e Secretaria de Estado da Educação (SEE), promove a assistência policial à comunidade escolar e seu entorno. O projeto hoje está presente em 350 cidades, 41% de todo estado, e será expandido.
Segundo o assessor de imprensa da PMMG, major Gilmar Luciano, a meta é que a Patrulha Escolar esteja presente nos 853 municípios. Nas localidades onde o projeto ainda não chegou, a polícia adota as práticas convencionais de prevenção e combate à comunidade.
De acordo com dados da SEE, Minas Gerais tem 543 escolas (15%) em regiões de vulnerabilidade social.  “Queremos este tipo de ação porque isso corrobora com a filosofia da PM mineira, que é estar ao lado da comunidade”, diz o major Gilmar.
Para superintendente de Modalidades Temáticas Especiais da SEE, Iara Viana, o policial conquista o respeito na escola como cidadão, o que vai além de sua atuação como uma autoridade da segurança.
“Os preceitos deste projeto são diálogo, respeito e parceria. A patrulha é uma das ações que reforçam a segurança nas unidades de educação. E segurança se refere à pacificação e boa convivência neste ambiente. Isso vai muito além da simples redução de criminalidade no entorno da escola”, ressalta Viana.

Resultados
A Escola Estadual São Pedro e São Paulo, na região Norte de Belo Horizonte, sofria com depredações e furtos. De acordo com a diretora Rosane Guimarães, depois da implantação da Patrulha Escolar, os crimes foram reduzidos.
“Primeiro, apresentamos o militar como parceiro conciliador na comunidade. Ampliamos a relação de confiança por meio de canais tecnológicos, tais como whatsApp, e-mail e telefones (fixos e celulares), proporcionando um pronto atendimento, quando necessário. Hoje  trabalhamos juntos direção, professores alunos, familiares e militares. Nos bons e maus momentos”, conta a diretora.
O comandante da 15ª Cia de PM, major Cláudio Silva, implantou a Patrulha Escolar na região Norte da capital. Para ele, a principal vitória é a desconstrução da imagem rígida da autoridade policial.
“Por meio de relações solidárias com os moradores, de rodas de conversa, carro de som com dicas de segurança e promoção de eventos culturais mostramos que estamos juntos pela harmonia”  comenta Silva.

Abordagem diferenciada
A abordagem estratégica militar entre os alunos e professores é de natureza prioritariamente preventiva. No entanto, quando necessário, a ação pode ser repressiva, usada especialmente em casos de desordem, medo, violência verbal e física, crimes contravenção penal ou infrações administrativas, dentro e no entorno das escolas.

Treinamento especial
Além da formação padrão, o policial responsável pela ronda escolar recebe um treinamento específico para atuação em ambiente escolar e na modalidade Proerd, em um curso com carga horária de 80 horas/aula.
Na escola, as abordagens respeitam os costumes e o modo de vida de cada comunidade, adequando a eles suas atividades operacionais, sem comprometer diretrizes emanadas pelo policial militar.

Como solicitar a Patrulha Escolar
- O responsável pela escola deve solicitar ao Batalhão da área o apoio da Patrulha Escolar
- Depois de analisar o pedido, a PM verifica a prioridade de atendimento segundo o contexto.
- Num primeiro momento é feita uma abordagem à comunidade escolar e seu entorno.
- O gestor da escola junto à PM desenvolve as ações específicas, que podem ser preventivas, com rondas no entorno e no interior dos estabelecimentos de ensino, com vista à prevenção da criminalidade e à restauração da ordem e da tranquilidade.
- Em casos de conflitos ou crimes, a Patrulha Escolar pode ser acionada via 190, telefone da Cia da PM que atende à escola ou ainda via celular, segundo acordado entre as partes.

 

Créditos: Carlos Alberto/Imprensa MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.