quinta-feira, 17 de Março de 2016 12:58h Agência Minas

Projetos aprovados via Lei Estadual de Incentivo geram retorno positivo para população e empresas apoiadoras

Desde que foi sancionada, legislação aprovou 249 projetos esportivos. Secretaria de Esportes está satisfeita, mas quer avançar mais

A Lei Estadual de Incentivo ao Esporte é um instrumento de fomento ao esporte em Minas Gerais. Instituída em 2013, ela prevê que até 0,05% da receita líquida anual do ICMS que coube ao Estado sejam direcionados a apoiar atividades esportivas ou paradesportivas das áreas de desporto escolar; de lazer; de formação; de rendimento; desenvolvimento científico e tecnológico; e desporto social.

Desde que foi sancionada a 'Lei Estadual de Incentivo ao Esporte – ICMS Corrente' foram aprovados 249 projetos esportivos. Desses, é possível reunir algumas histórias de sucesso que trouxeram benefícios tanto para a população atendida quanto para as empresas apoiadoras.

 

 

 

“Estamos satisfeitos com os resultados do mecanismo, mas, queremos fazer mais. Estamos estudando reformulações para os próximos editais a fim de incluir mais perfis de projetos, sobretudo, os de infraestrutura esportiva. Também estamos intensificando os nossos contatos e palestras com entidades de classe, a fim de que empresários, contadores e outros tomadores de decisão conheçam mais o mecanismo para abraçar os projetos esportivos", afirma o secretário de Estado de Esportes, Carlos Henrique.

Para o secretário, é muito positivo para as empresas "verem sua marca associada a projetos que melhoram a qualidade de vida das pessoas e incentivam talentos esportivos, isso sem retirar nenhuma verba do caixa. Também estamos reforçando os treinamentos sobre captação junto aos executores para dessa forma facilitar a negociação com as empresas”, completou Carlos Henrique.

 

 

 

Apoio para projetos

Entre março e novembro de 2015, a Federação Mineira de Basketball (FMB) realizou o Campeonato Mineiro Sub-13 por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. Mais de 700 pessoas, entre crianças e professores, foram impactadas diretamente pelo evento apoiado pela ArcelorMittal.
Segundo o presidente da FMB, Álvaro Cotta, a obtenção do apoio financeiro para os projetos depende muito do perfil da identificação, por parte executores, de potenciais apoiadores com afinidades com a proposta.

 

 

 

“Empresas têm objetivos distintos com os projetos incentivados. Algumas marcas buscam relacionamento com a comunidade, outras visibilidade, outras ações sociais com benefícios à população de baixa renda e uma parte tem compromisso com o desenvolvimento da sociedade. Há de se identificar quem tem o perfil para apoiar o projeto, mas tem muito espaço para trabalhar a participação das empresas mineiras nesse contexto”, afirmou.

O Projeto Trampolim já existe em Contagem há 10 anos, apoiado pela prefeitura local. A chegada da Lei de Incentivo ao Esporte, no entanto, deu um novo impulso à ação que hoje atende 40 jovens entre 9 e 16 anos, praticantes da ginástica de trampolim. Com o apoio da joalheria Rommanel, o projeto que tinha cunho social, passou a focar também na formação de ginastas.“A lei possibilitou uma nova realidade na equipe, ao possibilitar a formação de atletas de alto rendimento no melhor centro de treinamento da modalidade do país”, conta a presidente da Federação Mineira de Ginástica, Kátya Mourthé.

 

 

 

A busca de apoio financeiro aconteceu diretamente com o empresário Marcelo Cataldo, dono da Rommanel, que já conhecia o trabalho desenvolvido em Contagem e se interessava pela promoção do esporte. “A empresa está muito satisfeita com os resultados. Ao associar a imagem da Rommanel a uma equipe vencedora e colocar em prática a responsabilidade social, os retornos são bastante positivos, pois a grande maioria dos atletas é carente e faz do esporte um trampolim para uma vida melhor”, afirmou Kátya.

 

 

 

Incentivo ao esporte

Com atividades na área da siderurgia, a ArcelorMittal é a empresa que mais apoiou projetos aprovados pela Lei de Incentivo ao Esporte desde a implantação do mecanismo: foram 24 até hoje. A empresa já destinou mais de R$ 5,3 milhões para ações esportivas em Minas Gerais. A previsão inicial é de que em 2016, mais R$ 2,5 milhões sejam revertidos em apoios por meio de dedução do ICMS no estado.

Por meio de sua Fundação, a ArcelorMittal busca prioritariamente financiar projetos de formação de crianças e adolescentes para que se tornem cidadãos mais conscientes, produtivos e participantes. Em troca, a empresa tem como retorno institucional a reputação positiva junto às comunidades atendidas, reforço da imagem corporativa, aproximação com as comunidades de interesse da empresa, relacionamento com poder público, mídia espontânea e divulgação da marca.

 

 

 

“A Lei de Incentivo representa a forma mais ampla e democrática de financiamento público do desporto, seja no âmbito educacional, de participação ou de rendimento” afirma Leonardo Gloor, diretor-superintendente da Fundação ArcelorMittal. “O mecanismo de incentivo fiscal tem suma importância para atuação das empresas, pois por meio dele é possível contribuir para o acesso e a inclusão na área do esporte”, finalizou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.