terça-feira, 18 de Janeiro de 2011 00:00h

Qualificação profissional para jovens rurais continua em 2011

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dos últimos dez anos atestam o que muitos extensionistas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) conhecem na prática. A migração de um acentuado número de jovens rurais para os centros urbanos em busca de melhores condições de vida é uma realidade. Conforme aponta o levantamento do instituto, realizado entre 1991 e 2000, houve uma redução de 26% da população jovem rural nesta última década.

Por isso é cada vez mais necessária a implementação e fortalecimento de políticas públicas para incentivar a permanência do jovem no campo. Neste contexto, projetos mineiros como o Transformar – Uma Nova Minas com a Juventude Rural, direcionado a jovens rurais de 16 a 29 anos, se tornam importantes aliados na luta para reverter tal situação, oferecendo outras perspectivas de renda e trabalho a essa faixa etária.

Projeto estruturador da Emater-MG que investe na qualificação profissional de filhos e filhas de agricultores, o Transformar prevê para 2011, o atendimento a mais 1250 jovens. Desde a sua criação, em 2006, 6.183 jovens rurais mineiros foram capacitados, totalizando R$ 1,075 milhão de recursos investidos nesta faixa da população rural. Para este ano, outros R$ 300 mil, só do Programa Minas Sem Fome, serão aplicados no projeto, segundo a coordenadora estadual de Organização e Metodologia da Emater-MG, e gestora do projeto, Maria Helena Alves da Silva.

Os cursos utilizam um método pedagógico de alternância e têm carga horária total de 100 horas, sendo 32 horas presenciais para reflexão teórica em sala de aula e outras 68 horas complementares para exercício da prática na comunidade ou na propriedade do jovem. A capacitação pode versar sobre variados temas do meio rural, como agroindústria, associativismo, meio ambiente, criação de pequenos animais, fruticultura, horticultura, artesanato e informática, entre outros, conforme a necessidade e demanda do público atendido. Em sala, os jovens também trabalham conceitos como políticas públicas de juventude, cidadania, desenvolvimento rural sustentável, gestão social, empreendedorismo e importância da agricultura familiar, entre outros.

Ao final da capacitação, o jovem está apto a construir um projeto, de acordo as próprias habilidades e a realidade em que vive. O trabalho tem a assistência técnica de um extensionista. “É importante ressaltar que, com o certificado do Transformar, o jovem fica habilitado a se candidatar à linha de crédito Pronaf Jovem para montar o próprio empreendimento”, explica Helena Silva.

Exemplos de sucesso
Caçula de uma família de 11 irmãos, o jovem João Paulo Lara, da comunidade Campo Grande, em Itaguara, região central do Estado, colhe os frutos de uma capacitação em horticultura, ministrada pela Emater-MG local. Utilizando técnicas que respeitam o meio ambiente, como plantio em curva de nível, composto orgânico e substrato na confecção de mudas, ele aumentou a renda, produzindo e fornecendo alface para sacolões e restaurantes do município. Também participa de feira livre aos domingos ao lado da companheira Cheila Maxcilene Lara. A experiência de João Paulo tem atraído a atenção de outros jovens de Itaguara, que também almejam novas oportunidades de negócio, a partir dos cursos do Transformar.

Outro jovem que não tem do que reclamar é Tiago Vilela, do município de Carvalhos, na região da Zona da Mata. Atento às atividades da agricultura familiar e sempre buscando se qualificar, Tiago já participou de vários cursos, entre eles: qualidade do leite, inseminação artificial e tecnologia de produção. Trabalhando na lavoura de morango desde 2008, o jovem que, pretende se graduar na área das ciências agrárias, também ajuda os pais na fabricação e venda de queijos e hortaliças.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.