quarta-feira, 8 de Agosto de 2012 09:55h Gazeta do Oeste

Quase 17 mil pessoas são procuradas pela polícia em Minas

Minas Gerais tem 16.711 foragidos, cujos mandados de prisão foram expedidos pela Justiça. A quantidade de procurados corresponde a 38,11% dos detentos que estão nas unidades da Polícia Civil e da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

 

 

O número de mandados de prisão expedidos em todo o Brasil é controlado desde 15 de junho pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Com 17.449 foragidos, Minas só perde para Goiás. O Espírito Santo vem em terceiro lugar, com 16.087.


Em Minas, a maioria dos mandados de prisão em aberto é por tráfico de drogas, pensão alimentícia e crimes de furto e roubo. Belo Horizonte tem o maior número de foragidos: 2.201.

 

Ribeirão das Neves, na região metropolitana, com uma população de 297 mil pessoas, aparece em segundo lugar, com 672 condenados que não foram localizadas pelas polícias Civil e Militar.


O advogado Enir Lemos, especialista na área criminal, explica que Ribeirão das Neves ocupa o segundo lugar na lista do CNJ pelo fato de ter três presídios de grande porte. “Muitos presos fogem, são condenados em outros processos e aparecem na lista de foragidos”, disse.

 

Uberaba, no Triângulo Mineiro, que tem a metade da população da vizinha Uberlândia, tem 601 presos condenados que deveriam estar atrás das grades.


“O efetivo da Polícia Civil não é suficiente para cumprir os mandados de prisão expedidos pelos juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas”, analisa Adilson Rocha, do Conselho Penitenciário da seção mineira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG).

 

Segundo ele, o número de foragidos poderia cair pela metade se a quantidade de penas alternativas fosse aumentada em todo o Estado.


“Em vários crimes considerados de pequeno poder ofensivo, sem o uso de violência, os condenados poderiam cumprir a pena prestando serviço para a comunidade. Com este tipo de aplicação, seriam liberadas vagas nas cadeias”, diz o advogado.

 

 

 

 

 

 

 

 

HOJE EM DIA

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.