quarta-feira, 26 de Agosto de 2015 11:53h

Queijaria familiar do Sul de Minas se transforma em modelo de qualidade

Agroindústria atrai interessados em conhecer instalações e o processo de legalização

Queijo Minas Artesanal, cabacinha, nozinho, muçarela e defumado. Essas são algumas das variedades de queijos produzidas em uma agroindústria familiar do município de Itumirim, no Sul de Minas. Com apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), os produtores investiram na regulamentação junto ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e se transformou em referência de qualidade.

A família de Leidjane Aparecida Pereira, 51, se dedica a fabricação de queijo há mais de 20 anos. Em determinado momento desanimou-se com a produção e esteve para abandonar a atividade. Foi quando, por intermédio da Emater-MG, conheceu um programa de capacitação que visava melhorar a cadeia produtiva do leite e derivados produzidos por agricultores familiares.

“Em 2013 fomos incentivados pela Emater-MG a participar de cursos de capacitação. Foi uma oportunidade para conhecer boas práticas de produção, informações técnicas, cuidados com higiene e com as instalações e equipamentos. Aí conheci a importância de legalizar a nossa queijaria e falei que, se fosse para continuar na atividade, teria que ser tudo da forma certa, tudo legalizado”, conta Leidjane.

Legalização da atividade

A legalização de uma agroindústria é um processo que envolve diversas etapas, como produção da matéria-prima, estrutura física da unidade de produção, do processamento à gestão e comercialização de seus produtos. Com apoio da Emater-MG foi elaborado o projeto para construção e inspeção da queijaria de Leidjane, junto ao IMA. Foram investidos aproximadamente R$ 50 mil obtidos com o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

“Fizemos todo processo para legalização da propriedade. Houve um projeto de construção da queijaria e para adequação do ambiente. Foram feitas as análises da água e do queijo para garantir a qualidade e o rebanho também é certificado através de exames para atestar a saúde dos animais. Após todo processo a queijaria recebeu o selo do IMA para comercialização dos produtos”, destaca o extensionista da Emater-MG, Márcio Edgard.

Agroindústria modelo

Atualmente a produção leiteira da propriedade é de aproximadamente 280 litros por dia. Ela é toda voltada para a agroindústria, onde são produzidos diariamente cerca de 25 quilos de queijo. A maior parte da produção de queijos é vendida na região, principalmente em Lavras, e também para distribuidores.

A queijaria da família de Leidjane é a única do município de Itumirim legalizada pelo IMA. Segundo o extensionista da Emater-MG, Márcio Edgard, o local acabou se transformando em propriedade modelo e atrai diversos interessados em legalizar a produção. “Vários produtores vão até a propriedade para conhecer de perto e entender como funciona o processo de legalização e construção da queijaria. Elaboramos, inclusive, eventos na propriedade para compartilhar as boas práticas e experiências adquiridas no processo de certificação”, ressalta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.