quarta-feira, 10 de Abril de 2013 05:12h Atualizado em 10 de Abril de 2013 às 05:32h. Liziane Ricardo

R$ 65 Milhões para 10 quilômetros

Ordem de Serviço para duplicação da BR 262 é assinada

Minas Gerais é o Estado com a maior malha viária do Brasil, e a BR 262 que corta todo o estado em mais de dois mil quilômetros de rodovia, apresenta um afunilamento nas imediações do município de Nova Serrana, região Centro-Oeste. Partindo desta situação foi criado um projeto de duplicação da rodovia em um trecho equivalente a 9,9 quilômetros da extensão da rodovia. Estão orçados investimentos na ordem dos R$ 65 milhões para concretização da obra.
Na manhã de ontem (9) o Ministro dos Transportes, César Borges (PR) a convite do deputado federal Jaime Martins (PR), foi recebido na Estância Marisa pelo o prefeito de Nova Serrana, Joel Martins (PTB), pelo secretário estadual de Transportes Carlos Meles e demais autoridades da região. Na oportunidade, o prefeito Joel Martins comentou que a assinatura desta Ordem de Serviço é a realização de um sonho para toda a população de Nova Serrana. “Acho que agora é pra valer, pois muito se falou em duplicar, mas hoje isso já é uma realidade. Quem trafega em nossa região sabe a dificuldade que há em ter a rodovia duplicada somente até a comunidade de Gamas até na 494 e em seguida a rodovia é estreitada. Isso dificulta muito também na parte urbana da cidade com o índice de atropelamentos, acidentes, portanto acredito que daqui há dois anos isso irá acabar”, frisou Martins.
De acordo com o Ministro dos Transportes dentro do projeto orçado em R$ 65 milhões serão feitas duplicação, pistas laterais, passagens superiores, passagens inferiores e ciclovias, além de melhorar o tráfego da BR-262. “Esta era uma obra já solicitada a muito tempo pela população, e o deputado Jaime Martins que luta pelas questões da região nos solicitou de imediato esta obra. Como já foi feita a licitação e o projeto já foi muito bem elaborado, agora com a Ordem de Serviço será executada o mais rápido possível”, frisou Borges.
O fato de o projeto ter sido elaborado pela administração municipal, também foi um ponto positivo para a parceira entre Município, Estado e Governo Federal. “O governo da presidente Dilma Rouseff é um governo republicano que está aberto para todos os governadores, prefeitos e deputados. Então quando a gente recebe de uma prefeitura um projeto como este de bom nível e a altura do DER e o Denit necessita para fazer, aí então junta-se o útil ao agradável e iremos atender a população de Nova Serrana”, comentou o Ministro.

 

A OBRA

 

Com mais de dois mil quilômetros de extensão em Minas Gerais, a BR 262 é uma transversal que sai de Vitória vai até Corumbá. “A idéia inicial é de duplicar toda a sua extensão dentro do Programa de Investimento de Logística no qual o governo Federal busca parcerias com o setor Privado podendo abrir concessões que possam duplicar as rodovias do país, dando uma logística ao Brasil a nível Internacional” esclareceu César Borges.     
O trecho trata-se de lote único com extensão de 9,9 quilômetros o qual engloba o quilômetro 436,6 até o Km 446,5, compreendendo a travessia urbana de Nova Serrana. Esse lote também compreende o subtrecho da BR-494/MG-423) no entroncamento com a MG-164 (sentido - Bom Despacho).
Atualmente o tráfego no trecho da BR-262 travessia urbana de Nova Serrana, é de cerca de 10 mil veículos por dia e percorre uma extensão de cerca de 6,5 km no perímetro urbano da cidade.
Além da duplicação da via, o projeto prevê a construção de sete passagens em dois níveis, a implantação de “10 paradas de ônibus” de ruas laterais separadoras do tráfego local do de longas distâncias, construção de ciclovias e passeios para pedestres e retornos operacionais onde a rodovia atravessa área rural.
A obra está orçada em cerca de R$ 65 milhões e faz parte do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento. O prazo de execução é de 540 dias a contar da data da ordem de início.
O ministro lembrou ainda que além da BR 262 será licitada também a BR 381 com previsão da Ordem de Serviço a ser assinada ainda em 2013 para que seja possível realizar a duplicação total do trecho de Belo Horizonte à Governador Valadares que é outra reivindicação dos mineiros. “Temos ainda a BR 116 que atinge a Bahia a qual também necessita de uma concessão para ser duplicada no trecho que faz parte do trecho Rio-Bahia. È uma estrada que precisa efetivamente ser duplicada e será dentro deste Programa de Investimento e Logística”, finalizou o Ministro.



PASSARELAS

 

Em anos anteriores houveram manifestações as margens da rodovia, organizadas pelos próprios moradores do entorno, que encaram com muita dificuldade a travessia da rodovia. Sobre esta vertente, o Ministro César Borges afirmou que dentro do projeto está prevista a construção de passarelas e travessias. No entanto, o prefeito Joel Martins sinalizou positiva a construção além das passarelas, das pistas duplas como forma de segurança à população Serranense. “Aproximadamente 25 mil pessoas moram do outro lado da rodovia e com este novo acesso, acredito que estas pessoas terão muito mais tranqüilidade para ir trabalhar”, pontuou Martins.

 

FOMENTO ECONÔMICO

 

Já com relação ao fomento econômico para a região beneficiada com a duplicação, o prefeito Joel Martins, acredita que por Nova Serrana ter um trecho intenso de transportes de matéria prima para as fábricas de calçado, e com a duplicação tanto a cidade como a indústria só tem a ganhar.
Segundo o deputado federal Jaime Martins, o trecho da Travessia Urbana de Nova Serrana é extremamente importante, e esta é uma das cidades dentre as que mais crescem em Minas Gerais. “O fluxo de veículos em determinados horários de pico é insuportável, então vejo que a duplicação vem solucionar um problema que diz respeito a segurança dos moradores e daqueles que transitam na rodovia”, disse Jaime. Outro trecho que já faz parte do PAC é de Nova Serrana a Uberaba, porém segundo o republicano, o Ministro já está inteirado do assunto e pretende licitar a seqüência da obra até o município de Uberaba.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.