quinta-feira, 1 de Março de 2012 09:18h Atualizado em 1 de Março de 2012 às 10:04h. Marina de Morais

Reaproveitamento de alimentos evita o desperdício e diminui custos de produção

De acordo com uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em 2006, cerca de 26,3 milhões de toneladas de alimentos são jogados no lixo por ano no país. Entretanto, grande parte desses alimentos, ao invés de ir para o lixo, poderia ser reaproveitada ou reprocessada. As vantagens são tanto para evitar o desperdício quanto para aliviar o bolso dos brasileiros.
Segundo o Serviço Social do Comércio (Sesc), algumas medidas podem auxiliar para evitar o desperdício: “preferir legumes, hortaliças e frutas da época, armazenar em locais limpos e em temperaturas adequadas a cada tipo de alimento e lavar bem os alimentos, não retirar cascas grossas e preparar apenas a quantidade necessária para a refeição da família”.
Mesmo após seguir as medidas, as sobras de alimentos são, muitas vezes, inevitáveis. Um bom exemplo são as cascas de frutas e legumes, que acabam na lixeira. Entretanto, instituições como Sesc, Serviço Social da Indústria (Sesi) e restaurantes populares disponibilizam palestras e cursos para toda a população, em que são ensinadas receitas que tem como ingrediente principal as sobras e restos. Em Divinópolis, são realizadas várias palestras no Restaurante Popular sobre o assunto, ao longo do ano.
De acordo com Tuane Dutra, técnica em processamento de alimentos, é preciso estar atento para a diferença entre reaproveitar e reprocessar. “Reprocessar é quando são reutilizados alimentos industrializados, como no caso da massa de mussarela para fazer requeijão. Já no reaproveitamento é utilizada a matéria prima natural, como as cascas de frutas”, explica.
A técnica explica que tanto o reaproveitamento quanto o reprocessamento não trazem qualquer prejuízo à saúde, desde que os alimentos estejam em boas condições. Entretanto, ela alerta que os procedimentos não devem ser realizados caso os alimentos estejam contaminados ou com a data de valida vencida. Ela ainda diz que não são todos os alimentos que podem ser reaproveitados e reprocessados. Tuane exemplifica que uma forma sadia de reaproveitamento de alimentos é utilizar cascas de frutas para fazer barras de cereal.

BOX

Pratos que podem ser feitos a partir de sobras (elas precisam estar em boas condições):

• Carne assada: croquete,
omelete, tortas, recheios etc.;
• Carne moída: croquete, recheio
de panqueca e bolo salgado;
• Arroz: bolinho, arroz de forno,
risotos;
• Macarrão: salada ou misturado
com ovos batidos;
• Hortaliças: farofa, panquecas,
sopas, purês;
• Peixes e frango: suflê, risoto,
bolo salgado;
• Aparas de carne: molhos,
sopas, croquetes e recheios;
• Feijão: tutu, feijão tropeiro,
virado e bolinhos;
• Pão: pudim, torradas, farinha
de rosca, rabanada;
• Frutas maduras: doces, bolo,
sucos, vitaminas, geléia;
• Leite talhado: doce de leite.


Alimentos que podem ser aproveitados integralmente:

• Folhas de: cenoura, beterraba,
batata doce, nabo, couve-flor,
abóbora, mostarda, hortelã e
rabanete;
• Cascas de: batata inglesa,
banana, tangerina, laranja,
mamão, pepino, maçã, abacaxi,
berinjela, beterraba, melão,
maracujá, goiaba, manga,
abóbora;
• Talos de: couve-flor, brócolis,
beterraba;
• Entrecascas de melancia,
maracujá;
• Sementes de: abóbora, melão,
jaca;
• Nata;
• Pão amanhecido;
• Pés e pescoço de galinha;
• Tutano de boi.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.