segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014 04:52h

Rede estadual chega ao fim do ano letivo com bons resultados e consolidação de projetos

Ano de 2014 foi marcado por iniciativas que mostraram, por meio do Ideb, que Minas Gerais tem a melhor educação fundamental do Brasil

O ano de 2014 foi de consolidação de várias iniciativas e projetos da Secretaria de Estado de Educação. Este ano foi divulgado, por exemplo, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mostrou que Minas Gerais tem a melhor educação fundamental do Brasil, liderando o ranking entre os estados brasileiros no ensino fundamental, tanto para os anos iniciais (1º ao 5º ano), quanto para os finais (6º ao 9º ano). Em 2014, Minas também se sagrou campeão pela oitava vez consecutiva na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), com direito a recorde de medalhas de ouro e recorde também no número total de medalhas. Outro grande feito foi a universalização do Reinventando o Ensino Médio, importante projeto da Secretaria para a última etapa da educação básica, que chegou a todas as 2.246 escolas de ensino médio da rede estadual. São com esses resultados que cerca de 2,2 milhões de alunos da educação básica iniciam o período das férias escolares que vai até o dia 03 de fevereiro, quando terá início o ano letivo de 2015.

“Estamos concluindo um ano letivo, que também marca o término de um ciclo, iniciado em janeiro de 2011 e que se encerrará no dia 31 de dezembro de 2014. Este ano foi muito especial para todos nós. Foram muitas as conquistas – no Ideb, na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, no Proalfa. Sinto imenso orgulho de ser parte disso, e de alguma forma ter contribuído, como milhares de outros e de outras, para essa construção. E é isso que eu quero levar de lembrança. Tenho uma certeza: sedimentamos a fundação do futuro. Então, recomendo que olhemos com orgulho para as nossas escolas e para tudo que foi construído, por tantos e para tantos”, ressalta a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola.

Ana Lúcia Gazzola também agradeceu aos alunos e educadores pelo trabalho realizado. “Quero agradecer aos nossos servidores, professores e diretores pela dedicação e pelos resultados alcançados e para os nossos alunos devo dar os parabéns, pois eles estudaram muito e tiveram bons resultados. Fico muito feliz por ver que eles estão avançando na direção de uma boa realização em suas vidas”, conclui.

Com Ideb 6,2 para a rede estadual e 6,1 para o conjunto de todas as redes, Minas Gerais garantiu o primeiro lugar do ranking pela terceira vez consecutiva nos anos iniciais do ensino fundamental. Nos anos finais, Minas Gerais garantiu a liderança do ranking pela primeira vez, também para a rede estadual (Ideb 4,7) e para o conjunto de todas as redes do estado (Ideb 4,8).

Não são apenas os resultados do Ideb, contudo, que reafirmam a consolidação das iniciativas desenvolvidas por Minas Gerais. Os resultados do Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa) 2013, divulgados também este ano, mostraram que o percentual de letramento dos alunos do 3º ano do ensino fundamental passou para 93,1%. O percentual representa uma marca histórica para a educação mineira, pois foi a primeira vez que a rede estadual superou a marca de 90% dos alunos nesse nível. Em 2006, quando o Proalfa foi aplicado pela primeira vez, o percentual era de 48,6%. De caráter censitário, o Proalfa avalia, anualmente, o nível de letramento dos estudantes de oito anos de idade matriculados no 3º ano do ensino fundamental, etapa que também é chamada de ‘fim do ciclo de alfabetização’.

Já na Obmep, os bons são praticamente tradição, afinal os alunos mineiros conquistaram pela oitava vez consecutiva o primeiro lugar no ranking de medalhas da competição, tanto no número total, quanto no número de medalhas de ouro. Ainda assim, 2014 teve gostinho especial, pois marcou um recorde em número de medalhas de ouro e também no número total de medalhas. De acordo com o site da Olimpíada foram 153 medalhas de ouro, 413 de prata e 1.080 de bronze, totalizando 1.646 medalhas. A 10ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas contou com a participação de mais de 18 milhões estudantes de todo o país.

Pavimentando o futuro

Se os resultados alcançados em 2014 são todos dignos de muita comemoração, foi também em 2014 que a Secretaria de Estado de Educação consolidou um importante projeto para o futuro da Educação em Minas: a universalização do Reinventando o Ensino Médio. A iniciativa teve início em 2012, em 11 escolas da rede estadual de Belo Horizonte. Quase três anos depois, o projeto inovador de Minas Gerais para a última etapa da educação básica já está presente em todas as 2.246 escolas da rede estadual que oferecem o ensino médio e beneficia mais de 300 mil alunos.

Com o gerúndio, que indica sua permanente construção, o Reinventando propõe uma relação entre o mundo da escola e o mundo do trabalho. Isso é feito por meio de ações como a flexibilização curricular, a implantação de temas transversais, a realização de atividades extraclasse e extraescola, o uso de tecnologias de informação e, principalmente, a integração de áreas de empregabilidade ao Currículo Básico Comum (CBC). As estratégias didático-pedagógicas visam contribuir para o desenvolvimento dos alunos, seja para incentivar a continuidade dos estudos ou para aproximar os estudantes do mundo do trabalho.

Em Minas, 86,6% dos alunos do ensino médio estão matriculados a rede estadual. Isso representa 711.702 alunos. Outros 109.886 estudantes de Minas cursam essa etapa de ensino em instituições particulares, municipais ou federais.

Calendário escolar

O calendário Escolar é composto por 200 dias letivos, ou seja, dias em que são realizadas atividades com alunos. Para os anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano), o calendário também deve cumprir uma carga horária de 800 horas. Já para os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) são 833 horas e 20 minutos. Para as escolas do ensino médio a carga horária é de 1000 horas. A ampliação da jornada para todas as escolas deste nível de escolaridade se deve à universalização do projeto Reinventando o Ensino Médio.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.