sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2013 10:26h Agência Minas

Reinventando o Ensino Médio chega a mais 122 escolas estaduais em 2013

Projeto será universalizado em 2014 para todas as escolas estaduais que oferecem o ensino médio em Minas Gerais

 Em 2013, o projeto Reinventando o Ensino Médio, da Secretaria de Estado de Educação, oferece a mais 122 escolas da rede estadual de ensino quatro novas áreas de empregabilidade: Empreendedorismo e Gestão, Meio Ambiente e Recursos Naturais, Estudos Avançados em Ciências e Estudos Avançados em Linguagens.

A iniciativa tem o objetivo de reformular o currículo escolar convencional, com a inclusão e a integração de áreas de empregabilidade ao Currículo Básico Comum (CBC) do estudante. A partir do dia 18 de fevereiro, as escolas participantes realizarão seminários para apresentar o programa aos estudantes.

Em 2012, 11 escolas da região norte de Belo Horizonte receberam o programa em sua fase de implantação e os resultados são positivos segundo professores e coordenadores. As instituições de ensino escolheram três áreas de empregabilidade (Turismo, Comunicação Aplicada e Tecnologia da Informação) dentre as 16 oferecidas para serem trabalhadas com os alunos.

Na Escola Estadual Maria Luiza Miranda Bastos, de Belo Horizonte, 100 alunos optaram pela adição da Comunicação Aplicada em seu currículo escolar do ensino médio. Um dos projetos desenvolvidos ao longo de 2012 foi a criação de uma empresa fictícia para o levantamento de fundos destinados a um abrigo de crianças carentes, moradoras de áreas vulnerabilidade social.

O trabalho fez parte do conteúdo da disciplina Comunicação na Prática e exigiu dos alunos uma pesquisa de campo pelo bairro para mapear as demandas da comunidade e quais projetos sociais eram voltados para estas deficiências. Em seguida, os estudantes traçaram uma pesquisa de mercado, para saber que tipo de produtos teria aceitação do público.

Uma feira de alimentos foi realizada e o lucro da venda foi revertido para a compra de brinquedos, chinelos, equipamentos eletrônicos e utensílios para o abrigo. Para a coordenadora do projeto na escola, Adriana Alvim, “o programa trouxe uma cara nova para o ensino médio e um sentido para estar na escola. As aulas estão mais dinâmicas, e os alunos acessam mais tecnologias”.

Os alunos da Escola Estadual Maria Luiza Miranda Bastos, que optaram pelas aulas de Tecnologia da Informação, tiveram a oportunidade de produzir jogos virtuais, o que demandou habilidade para escolha de comandos eletrônicos, criação de personagens e elaboração de enredos. “O aluno aprende na sala de aula aquilo que vai usar de imediato”, pontuouAdriana.

“A proposta é dotar os alunos de competências e habilidades que estão alinhadas às necessidades e exigências do mundo do trabalho e acadêmico. O que pretendemos é aperfeiçoar a cognição do aluno de forma global. O que não quer dizer, por exemplo, que o aluno que optou por Turismo, será um técnico na área ou seguirá carreira”, esclarece a gerente do projeto Cynara Quintão.

“As áreas de empregabilidade que escolhemos foram muito assertivas para nossos alunos e o atendimento pedagógico significativo”, destaca a gerente do projeto na escola, Cristiana Martins Peixoto Evangelista.

 

Atividades extraclasse

 

Para aplicar, por exemplo, o conteúdo Atratividade turística: valores culturais e paisagísticas, lecionado para alunos do 1º ano do ensino médio da área de Turismo, algumas escolas da capital optaram pela promoção de visitas a espaços culturais, como mostras de cinema, museus e espaços científicos.

Na avaliação de Sandra Amaro, da Escola Estadual Hilton Rocha, as visitas recorrentes dos estudantes de Turismo e Comunicação Aplicada a estes espaços “propiciou uma mudança significativa de comportamento nos alunos, além da melhora na relação aluno e professor”.

A coordenadora do Reinventando o Ensino Médio na Escola Estadual Donato Werneck de Freitas, Rafaela Augusta da Silva Pereira, concorda. A adição das novas disciplinas no currículo propiciou aos estudantes avançar no campo social e pessoal. “Dentro de sala nossos alunos se tonaram mais participativos e fora da escola estão mais autônomos. Se vão ao museu, por exemplo, não ficam mais calados, questionam o que veem”, conta.

A coordenadora do Reinventando o Ensino Médio na Escola Estadual Paschoal Comanducci, Cristina Martins Peixoto, também promoveu visitas técnicas a entidades de ensino, empresas e órgãos públicos, além da participação em eventos. Bienal do Livro, redações de jornais, Câmara Municipal, Assembleia Legislativa de Minas Gerais, universidades e a Fundação Clóvis Salgado (FCS) foram alguns dos locais que tiveram sua funcionalidade estudada.

“Na Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), os alunos das três áreas de empregabilidade estudaram comunicação visual nos aeroportos, o marketing, espaços de locação, o trabalho dos agentes de turismo, a forma de recepção do passageiro, sistema de controle aeroportuário, cada qual dentro da sua área de especificidade”, explica Cristina.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.