quinta-feira, 28 de Janeiro de 2016 11:35h Agência Minas

Samu Macro Sul completa um ano de atividades beneficiando 152 cidades

Serviço atende aproximadamente 2,7 milhões de pessoas e constitui o maior Samu do Brasil em atendimento e número de municípios

No próximo domingo (31/1) o Samu da Macro Região Sul de Minas Gerais completa um ano da inauguração. O serviço, que beneficia 152 cidades que compõem a macrorregião, atende aproximadamente 2,7 milhões de pessoas e constitui o maior Samu do Brasil em termos de atendimento, número de municípios e bases.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) repassa mensalmente R$ 2, 6 milhões para mantê-lo em funcionamento. Em comemoração à data será realizada, nesta sexta-feira (29/1), às 16h, uma solenidade no Hotel Podium, em Varginha.

O Samu Macro Sul possui sua sede – Central Operativa – no município de Varginha e atualmente conta com 34 bases descentralizadas na região, que realizam atendimentos de Urgência e Emergência por intermédio das 43 ambulâncias do serviço – 34 de suporte básico e 9 de suporte avançado, com estrutura de UTI.

Gerenciado pelo Cissul – (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Macro Região Sul de Minas), o Samu é um dos componentes da Rede de Urgência e Emergência da Macro Região Sul, contando com 28 hospitais credenciados. O Conselho Diretor é presidido pelo prefeito do município de Monte Sião, João Paulo Ribeiro.

 

 

O primeiro ano

Atualmente, o Samu da Macro Região Sul conta com 593 profissionais trabalhando nas bases e Central Operativa. Neste primeiro ano de funcionamento foi levantado um número de aproximadamente 370 mil ligações ao serviço.  As USBs – Unidades de Suporte Básico - realizaram mais de 87% dos atendimentos, enquanto as USAs – Unidades de Suporte Avançado – totalizaram um percentual superior a 12% dos atendimentos.

As causas que mais demandaram atendimento por meio das Unidades foram as clínicas e traumáticas, seguidas, respectivamente, pelas obstétricas, pediátricas e psiquiátricas. Destas causas, a que mais demandou suporte avançado foi a pediátrica. O Núcleo de Educação Permanente (NEP) realizou, durante o primeiro ano, treinamentos com os profissionais das 34 bases descentralizadas, incluindo condutores socorristas, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos.

De acordo com o Secretário Executivo do Cissul/Samu, Jovane Ernesto Constantine, “com o início do serviço, os casos com risco iminente de morte passaram a ser referenciados com maior agilidade, principalmente onde a assistência e o suporte à saúde são menores”. Para Jovane, a adaptação é um processo natural e, após os seis primeiros meses de funcionamento, o reconhecimento por parte dos municípios foi ainda mais efetivo.

 

 

Conscientização

Entre os projetos desenvolvidos pelo NEP está o “Samuzinho”, com foco nas escolas públicas e privadas. Ele visa conscientizar crianças de 7 a 15 anos sobre a importância do Samu, além de alertar para o perigo dos trotes e orientar sobre primeiros socorros básicos. Das 370 mil ligações ao serviço; 17% foram trotes.

Para a coordenadora do NEP, Kátia Ferreira, “o retorno dos treinamentos oferecidos pelo NEP é muito ativo, principalmente por parte das equipes de Atenção Básica, que passam a ter um contato mais estreito com a Urgência e Emergência”. Para 2016, outro projeto será capacitar Prontos Socorros e UTIs.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.