quinta-feira, 8 de Maio de 2014 07:12h

Secretaria de Agricultura mostra suas ações no 31º Congresso Mineiro de Municípios

Evento pode ajudar na prospecção de parceiros para os programas do agronegócio.

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) participa do 31º Congresso Mineiro de Municípios (AMM), que segue até quinta-feira (8/5) no Expominas, em Belo Horizonte, tendo por objetivo aproximar os órgãos governamentais de Minas Gerais e os representantes municipais. Instaladas no estande do Governo do Estado, a Secretaria e suas instituições vinculadas (Emater-MG, IMA, Epamig e Ruralminas) apresentam os programas e ações que desenvolvem para fortalecer as cadeias do agronegócio, em diversos casos por meio de políticas públicas e privadas.     

Segundo o secretário da Agricultura, André Merlo, o congresso pode ajudar na prospecção de parceiros para os programas de fortalecimento do agronegócio. Trata-se de uma ótima oportunidade para discutir com os representantes municipais a “Agenda Estratégica Desenvolvimento Sustentável da Agricultura de Minas Gerais 2014/2030”, ele diz. “A agenda, lançada em 27 de março pelo Governo de Minas, propõe o esforço público-privado em busca de solução para os problemas inibidores do desenvolvimento econômico e social no meio rural.”

Merlo diz que o cenário do meio rural, com suas demandas e seu potencial, foram definidos em encontros realizados sob a coordenação do então secretário José Silva em sete regiões de Minas, envolvendo a participação de entidades do agronegócio, produtores, técnicos e representantes das comunidades. “Entre os grandes desafios estão a pobreza, a necessidade da produção de mais alimentos com sustentabilidade, gestão das águas e atendimento às demandas de energia”, ressalta.

“Nos encontros regionais ficou evidente a importância da aplicação do esforço público-privado para a criação de condições que possibilitem a manutenção dos jovens no campo”, acrescenta. Merlo ainda propõe o diálogo dos participantes do congresso da AMM com a Seapa a propósito do Programa de Regionalização de Frigoríficos de Minas Gerais (Profrig), lançado com a Agenda Estratégica. Trata-se de uma proposta público-privada de desenvolvimento de ações para a criação de no mínimo 21 abatedouros certificados nos municípios e pequenas comunidades do Estado.

“As unidades serão destinadas ao abate de bovinos, suínos, ovinos e caprinos, mediante a parceria do Governo de Minas com os municípios e empreendedores da cadeia produtiva de carnes em condições de garantir o abastecimento controlado e seguro do produto à população”, prossegue.

De acordo com informação da Associação dos Frigoríficos de Minas Gerais, Espírito Santo e Distrito Federal (Afrig), diversos empreendedores estão interessados em participar o Profrig. O secretário diz que as perspectivas são muito boas, e o Profrig deve proporcionar benefícios a diversos segmentos e pode evoluir até a inclusão dos produtos dos frigoríficos em programas de exportação, pois as carnes embarcadas por Minas Gerais têm grande aceitação nos mercados mundiais.

No segmento da pecuária, os participantes do 31º Congresso Mineiro de Municípios podem dialogar também com os representantes da Seapa sobre o programa Minas Leite, que tem possibilitado aos agricultores familiares do Estado a introdução de boas práticas, todas de baixo custo e com orientação dos extensionistas da Emater, para aumentar a produção com sustentabilidade. Atualmente, o programa atende a 1.365 propriedades em 319 municípios mineiros.                     

Parcerias positivas

Merlo recomenda também que os representantes dos municípios procurem informações sobre os reflexos das políticas desenvolvidas pelo Governo do Estado com as instituições privadas para o fortalecimento do agronegócio. “Um dos efeitos é a alta qualidade do café, mediante o suporte do programa Certifica Minas, que já conta com 1.643 propriedades certificadas. Por meio do programa, o café dessas propriedades alcança um diferencial de qualidade e sustentabilidade que aumenta a sua aceitação no mercado internacional. O café é o principal produto de exportação do agronegócio e o segundo das exportações gerais do Estado. Em 2013, as vendas externas do produto com o selo de Minas somaram US$,8 bilhões, soma equivalente a 9,3% da balança comercial de Minas”, assinala.    

A pesquisa no agronegócio é de fundamental importância para a valorização dos produtos do agronegócio mineiro. No espaço da Seapa e suas vinculadas, no estande do Governo de Minas, os participantes do congresso podem conferir o resultado da agregação da pesquisa à produção de café e de azeite, bem como obter informações sobre as perspectivas em relação a outros produtos.

Agricultura Familiar

No contexto da Subsecretaria de Agricultura Familiar e Regularização Fundiária, o secretário recomenda aos participantes do congresso se informarem sobre a atuação do órgão como coordenador da gestão do Mercado Livre do Produtor (MLP) da CeasaMinas.Também na área da Subsecretaria estão as iniciativas compartilhadas do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, políticas de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA  Familiar) bem como o apoio à produção, beneficiamento e comercialização de alimentos da agricultura para o abastecimento das escolas, entre outros.

Há também, sob a coordenação da Subsecretaria, ações para o desenvolvimento da agroindústria familiar, agroecologia e produção orgânica, direitos dos povos e comunidades tradicionais, e desenvolvimento rural sustentável e solidário. Além de um trabalho permanente para orientação do agricultor familiar sobre a legislação relacionada às suas atividades.

 

Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais – Assessoria de Comunicação Social
Jornalista responsável: Ivani Cunha
Telefone: (31) 3915-8544
www.agricultura.mg.gov.br
facebook.com/agriculturamg
Twitter: @agriculturamg

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.