terça-feira, 25 de Março de 2014 09:55h

Secretaria de Estado de Defesa Social afastará agentes da Central de Escolta

Os agentes ficarão afastados por 30 dias, prorrogáveis por mais 30, dependendo do andamento das investigações da Polícia Civil.

O secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, decidiu pelo afastamento preventivo dos nove agentes penitenciários que estavam na Central de Escoltas de Ribeirão das Neves, no momento do roubo de 45 armas e cerca de mil munições na manhã desta segunda-feira (24/03).

Os agentes ficarão afastados por 30 dias, prorrogáveis por mais 30, dependendo do andamento das investigações da Polícia Civil. A Corregedoria da Secretaria de Estado de Defesa Social também continua com as apurações sobre possíveis desvios de condutas de funcionários. De acordo com o secretário Rômulo Ferraz essa medida visa assegurar a transparência das investigações e resguardar a integridade dos próprios agentes penitenciários.

Nesta tarde, o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, determinou às forças de segurança pública do Estado que deem prioridade aos esforços para a prisão dos criminosos e a recuperação das armas roubadas da Central de Escoltas do Sistema Prisional de Ribeirão das Neves.

Seguindo a orientação do governador, a Polícia Civil montou uma força-tarefa especial integrada por policiais da Divisão Especializada de Operações Especiais (Deosp) para investigar o caso.

Militares do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), Batalhão de Eventos, Canil e do 40ª Batalhão da Polícia também realizam um cerco nos principais acessos ao município de Ribeirão das Neves e nas estradas da região. Blitze foram montadas para tentar localizar os suspeitos da ação criminosa.

O setor de Inteligência da Subsecretaria de Administração Prisional (SuapiI) contribui com as investigações e a Corregedoria da Secretaria de Estado de Defesa Social foi acionada para apurar possíveis desvios de condutas de funcionários.

Os agentes que estavam no local no momento do crime estão sendo ouvidos pela Polícia Civil. Os alimentos ingeridos também estão sendo analisados pela perícia da instituição.

O roubo dos armamentos foi detectado por volta das 7h, quando durante a troca de turno da Central de Escoltas agentes penitenciários que chegaram até o local encontraram alguns colegas dormindo e outros se sentindo mal. Ao fazerem uma verificação na sala de armas, detectaram que 45 armamentos haviam sido roubados, sendo 39 pistolas pt.40 e seis submetralhadoras. Também foram subtraídas cerca de mil munições de calibres diferentes.

Inaugurada em maio de 2013, a Central de Escoltas fica localizada em Ribeirão das Neves, próxima ao Presídio Antônio Dutra Ladeira. No local ficam os agentes responsáveis pela realização de todas as escoltas programadas das unidades prisionais de Neves.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.