sexta-feira, 23 de Março de 2012 13:33h Agência Minas

Secretaria de Saúde dá dicas de alimentação saudável durante a quaresma e a Páscoa

Veja como balancear o cardápio e aproveitar os benefícios dos tradicionais pratos consumidos no período

André Brant

O bacalhau é uma boa opção para a Páscoa, devido ao seu potencial nutritivo

O consumo de peixes e chocolates aumenta significativamente nesta época do ano, tendo em vista a quaresma e a Páscoa. Por isso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) dá dicas de como balancear o cardápio e aproveitar o que há de bom nos chocolates e peixes.

Segunda a nutricionista da SES Luciana Rodrigues Costa, como o peixe é tradição na sexta-feira Santa, o bacalhau é uma boa opção, devido ao seu potencial nutritivo. Rico em vitaminas B1 e D, sódio, magnésio, proteínas e ácido graxo ômega-3 e ômega-6, grandes aliados na prevenção de doenças cardiovasculares, é um prato muito saudável. “A dica é lembrar sempre de cuidar para que a quantidade de carboidratos dos acompanhamentos, como arroz e batatas, fiquem em equilíbrio”, ressalta.

Além do bacalhau, outros peixes que podem deixar o cardápio muito mais saudável são salmão, pescada, atum e linguado. Mas muito cuidado na hora da compra. Quando frescos, devemos observar algumas características para que realmente consumamos algo saudável: os peixes devem possuir couro/escama firme, bem aderida, úmida e sem a presença de manchas; os olhos devem ser brilhantes, salientes e transparentes; as escamas devem ser unidas entre si, brilhantes e fortemente aderidas à pele; as brânquias (guelras) devem possuir cor que vai do rosa ao vermelho intenso, ser brilhantes e sem viscosidade e, por fim, com odor característico e não repugnante.

“É fundamental iniciar a refeição com um prato de salada verde e legumes cozidos, pois apresentam baixa quantidade calórica e são ricos em fibras, que dão maior sensação de saciedade. Para temperar a salada, a melhor opção é utilizar ervas frescas, como o manjericão, alecrim ou cebolinha”, orienta.

Chocolates

A nutricionista ressalta que na hora da sobremesa, a opção seja por frutas in natura ou doces de frutas, que além de serem menos calóricas, são nutritivas e ricas em fibras. “Porém, se a vontade de comer chocolate for irresistível, prefira os ovos de Páscoa na versão meio amargo ou com uma maior concentração de cacau, já que os outros tipos de chocolates, como ao leite, branco e trufado, entre outros, são preparados com muito açúcar e gorduras. Quando consumidos em excesso, podem trazer prejuízos à saúde”, alerta. 

Muitos desses produtos possuem recheios ricos em gorduras trans, que podem elevar os teores do colesterol (LDL colesterol) e reduzir os níveis de colesterol bom (HDL colesterol) no sangue, com isso, se consumidos em excesso, podem trazer problemas futuros, como o aumento do peso e das taxas de colesterol e triglicérides no organismo.

Na hora da compra dos ovos de Páscoa, é importante ficar de olho e evitar produtos com embalagens sujas, amassadas, com furos, abertas ou com outros sinais de alteração. E as dicas para não sair da Páscoa com peso na consciência são: optar sempre por um ovo pequeno, não ingerir o seu ovo em um único dia (comer pequenas quantidades nos dias próximos da Páscoa), não optar pelas versões diet ou light querendo se livrar da culpa, eles são tão calóricos quanto os tradicionais e, se receber muitos ovos de presente, divida entre os amigos e a família.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.