sexta-feira, 10 de Julho de 2015 13:49h

Sedinor/Idene inicia nova fase do Programa Brasil Alfabetizado

O sistema Sedinor/Idene deu início, nesta quarta-feira (08/07)

O sistema Sedinor/Idene deu início, nesta quarta-feira (08/07), ao processo de inscrição e seleção de alfabetizadores, tradutores-Intérpretes de libras (línguas brasileira de sinais) e alfabetizadores-coordenadores de turmas, por meio de edital de chamada pública, para execução da nova fase do programa Brasil Alfabetizado.

Nesta etapa serão oferecidas cerca de 5.553 mil bolsas para alfabetizadores, 925 para alfabetizadores-coordenadores e as bolsas para tradutores-intérpretes serão conforme demanda das turmas. As inscrições deverão ser feitas de preferência pelo alfabetizador-cordenador de turmas, que deverá levar, além da documentação exigida no edital, a sua ficha pessoal de cadastro, a ficha pessoal de cadastramento de alfabetizador, a ficha de cadastramento da turma e fichas de cadastramento dos alfabetizadores.

Cada alfabetizador-coordenador terá a supervisão e monitoramento de no mínimo 05 e no máximo 09 turmas/alfabetizadores. Já o alfabetizador poderá ter até duas turmas, sendo que, na zona rural a turma é de no mínimo 07 e o máximo 25 alfabetizandos e na zona urbana é de no mínimo 14 e no máximo 25 alfabetizandos.

A meta prevista para esta fase é de alfabetizar 80 mil pessoas entre jovens, adultos e idosos, nos 258 municípios da área de abrangência da Sedinor/Idene. As inscrições podem ser feitos até o dia 06 de agosto, nos escritórios regionais do Idene, em horário comercial.

Mobilização

Durante o processo de inscrição e seleção, os técnicos regionais do Idene irão visitar as prefeituras, para divulgar a ação e tirar dúvidas sobre a adesão ao programa. As visitas irão garantir parcerias com as secretarias de Educação e Ação Social; das câmaras de vereadores; das associações microrregionais, de moradores, de produtores e trabalhares rurais e demais entidades interessadas.

Brasil Alfabetizado

Esse programa contribui para a superação do analfabetismo nas regiões dos Vales Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce e do Norte e Nordeste de Minas Gerais.  A universalização da alfabetização de jovens, adultos e idosos e a progressiva continuidade dos estudos em níveis mais elevados (como encaminhamento para o EJA após a alfabetização), promovem o acesso à educação como direito de todos, em qualquer momento da vida.

Foto (crédito): Divulgação/Sedinor MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.