quinta-feira, 22 de Outubro de 2015 10:47h

Soja e milho favorecem possibilidade de recorde da safra em Minas Gerais

Estimativa é a de que o estado colha mais de 12 milhões de toneladas de grãos em 2015/16; produção de soja deve ser 18% maior

Minas Gerais deve colher na safra 2015/16 cerca de 12,869 milhões de toneladas de grãos, uma produção recorde. O volume é 5,9% maior que o máximo já registrado no estado, relativo à colheita de 2013, quando  foram produzidos 12,1 milhões de toneladas. Em relação à safra 2014/15, o crescimento é ainda maior: 8,7% a mais que os 11,8 milhões de toneladas daquela safra.
A soja e o milho, que hoje são responsáveis por 88,7% do total de grãos produzidos em Minas Gerais, devem ser os principais responsáveis pelo aumento. A previsão é a de que a colheita da soja seja 18,1% maior e a de milho, 6,5%.  Os dados são do levantamento de intenção de plantio divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
O superintendente de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), João Ricardo Albanez, explica ainda que, um dos indicadores favoráveis para o aumento da produção de soja é a expansão da área cultivada, que de acordo com o Conab varia de 1,8% a 2,7%, representando entre 1.343 e 1.355 mil hectares.
O levantamento também mostra que a alta do dólar tem tornado o preço da soja mais atraente no mercado internacional. “Muitos produtores já negociaram parte da produção e isso também garante investimento e o aumento da safra”, acrescenta o superintendente.
O milho não teve um aumento tão expressivo quanto à soja, mas o superintendente ressalta que a produção do grão representa aproximadamente 60% do plantio dos produtores. “O milho é muito utilizado para a fabricação de ração e para alimentação de aves, suínos e bovinos. Por isso ainda se mantém em maior escala em Minas” , comenta Albanez.
O levantamento da Conab aponta ainda outros produtos que também aumentarão a  produção no ciclo 2015/2016, como o trigo, com previsão de alta de 20,3%; o feijão, produção 4,5% maior; o girassol (+ 3,4%); e o amendoim (+3,3%).

Para o Secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, João Cruz, os produtores mineiros têm criado estratégias de sucesso para reduzir os efeitos climáticos: “Os dados da Conab confirmam  que o aparato de políticas públicas de crédito, a ciência e tecnologia, além da assistência técnica, têm ajudado o produtor a responder bem aos desafios do plantio” ressalta.
O produtor de soja Claudio Carvalho, de 51 anos, do município de Uberaba, está atento a novas culturas para aumentar a produtividade. Ele tem investido em maquinário mais avançado para a limpeza do campo, retirando resíduos secos como folhas, preparando a terra para o plantio e modernizando o sistema de irrigação, que contabiliza quantidade de água que a planta precisa para crescer.
Carvalho estima que para este ano sua colheita de soja alcance um aumento entre 30% e 35%. “O clima não esta favorecendo o plantio, mas o crédito que adquiri no banco permitiu que eu investisse e melhorasse minha plantação. Com a irrigação, espero colher ainda mais, pois esse processo não permite imprevisto e a colheita é certa”, comemora o agricultor.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.