quarta-feira, 5 de Junho de 2013 10:17h Agencia Minas

Superagro promove encontro sobre a produção de leite no Estado

A Superagro Minas 2013, encontro realizado pelo Governo de Minas – por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) – com apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e do Sebrae-MG, promove, nesta quarta-feira (05), um evento sobre a produção de leite no Estado.

No encontro, que acontece no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte, serão apresentados os resultados do Programa Balde Cheio. Com 2 mil produtores de leite de 255 municípios mineiros atendidos no Estado, o Programa Balde Cheio, iniciativa da Faemg, promove seu segundo encontro com produtores, técnicos e representantes de associações e cooperativas rurais, durante a Superagro Minas. Para este encontro, mais de 2.000 pessoas fizeram o credenciamento.

“O programa começou em 2007 com apenas 100 produtores. Embora estejamos atendendo apenas 1% dos produtores do Estado, estes números demonstram que o Balde Cheio está no caminho certo”, afirma o analista de Agronegócios da Faemg, Wallisson Lara. No comparativo com 2012, o número de municípios atendidos aumentou em 15%. Já os produtores passaram de 1,5 mil para os atuais 2 mil.

Diagnóstico

O Programa funciona da seguinte forma: a Faemg treina os técnicos indicados e, posteriormente custeados pelas entidades parceiras, sejam sindicatos, prefeituras associações ou cooperativas de produtores para atender as propriedades rurais de determinada região.

No estágio seguinte, os técnicos visitam as propriedades para verificar, caso a caso, quais são as condições e custos da produção e a disponibilidade de recursos físicos e financeiros para investimentos em melhoria. “Atualmente temos 184 técnicos treinados, mas esse número vai aumentar porque temos muitos produtores para ainda atender no Estado”, ressalta Lara. 

Após o levantamento das condições e planejamento da estratégia de ação, produtor e técnico fazem um acordo para que o plano de ação seja seguido. Os resultados têm sido bastante positivos, com aumentos superiores a 1.000% da produção, em alguns casos. “Nosso foco é reduzir custos para maximizar a produção, fazer mais com menos para aumentar a margem de lucro”, resume o analista. Todo o trabalho é acompanhado por supervisores regionais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.