sexta-feira, 30 de Janeiro de 2015 11:39h

Supermercados mineiros têm faturamento próximo do previsto em 2014

As vendas acumuladas do setor de supermercados em Minas Gerais cresceram 1,96% em 2014 em relação a 2013 na pesquisa mensal que compara o mesmo número de lojas de um ano com o do anterior

Na pesquisa que considera o setor como um todo, o que inclui novas lojas abertas em 2014, o crescimento foi de 2,48%.

Nos dois casos, os resultados estão próximos da expectativa que existia no segundo semestre do ano passado, após a Copa do Mundo e as eleições, quando era previsto crescimento anual de 2,0% no conceito “mesmas lojas” e 2,60% no conceito “setor atualizado”.

Os números são do Termômetro de Vendas, pesquisa mensal da Associação Mineira de Supermercados (AMIS) junto com empresas de todos os portes em todo o Estado. Os resultados já estão deflacionados pelo IPCA/IBGE.

Dezembro

De acordo com a AMIS, as vendas de dezembro de 2014 foram 2,06% superiores às de dezembro de 2013, o que contribuiu para o acumulado no ano praticamente alcançar os números das expectativas consolidadas no segundo semestre.

Na comparação entre dezembro de 2014 e novembro de 2014, o crescimento foi de 20,03%, o que é considerado normal, pois historicamente o mês de dezembro é o de maior volume de vendas nos supermercados.

Otimismo

Para 2015, de acordo com projeções da AMIS, o setor deve abrir pelo menos 70 pontos de vendas em todo o estado. Os investimentos previstos são de R$ 300 milhões visando também às reformas de 75 lojas. 

O crescimento do setor 2015 está estimado em 2,0% no conceito “mesmas lojas” e 2,6% no conceito amplo. Acredita-se na geração de 8 mil postos de trabalho, se somando aos 166 mil já existentes. O número de lojas passará dos atuais 6.975 para 7.045, ao final do ano.


Variação regional – Dezembro 2014 x Novembro 2014

Total -MG
20,03%
Central
15,05%
Centro-Oeste
26,83%
Norte/Noroeste
17,97%
Rio Doce
26,37%
Sul
26,45%
Triângulo/A. Paranaíba
16,30%
Zona da Mata
26,59%

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.