terça-feira, 2 de Fevereiro de 2016 12:24h Agência Minas

Tecnologia de captação de água da chuva beneficia famílias no Norte e Nordeste de Minas

Obras conduzidas pela Sedinor garantem maior qualidade de vida para a população que enfrenta e convive com a seca no território mineiro

O Governo do Estado vai beneficiar mais 4.810 famílias, no semiárido mineiro, com a construção de 962 pequenas barragens com maior capacidade de captação de água de chuva. A informação é da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor), responsável pela execução das ações de enfrentamento à seca em todo o território mineiro.

Estas pequenas barragens, especificamente, vão conseguir captar volume médio de 7 mil a 7,5 mil metros cúbicos de água, com atendimento a 151 municípios compreendidos na área mineira da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). A Sedinor, que já recebeu projetos, prevê para este mês de fevereiro a publicação do edital que vai definir as empresas responsáveis pela análise das propostas reunidas para a obra.

 

 


Período de chuvas

Neste início de ano, que registra uma temporada de chuvas com níveis acima da média histórica, para o período, moradores do Norte e Nordeste do estado já contam com aproximadamente 120 barreiros e 872 barraginhas implantadas e em funcionamento para a captação de água. As obras, realizadas pela Sedinor durante o período seco, são uma garantia para a população.

“As tecnologias instaladas, por meio do programa Água para Todos, são importantes justamente para este momento, para estas regiões que enfrentam e convivem com o problema da seca”, explica o coordenador das Barraginhas da Sedinor, Rodrigo Padovani. “Nosso objetivo é levar qualidade de vida ao morador do semiárido, no Norte e Noroeste de Minas Gerais”, acrescenta.

Para este ano, a Sedinor planeja concluir, no período seco, as obras de implantação dos barreiros (chegando ao total de 133), para beneficiar 665 famílias. Estão no escopo, ainda, outras 864 barraginhas, chegando a um total de 1.736 barraginhas, número que também corresponde ao total de famílias que serão contempladas pelas intervenções. Desse total, alguns municípios começarão a ser atendidos pela primeira vez: Bonito de Minas, Cônego Marinho, Itacarambi, Miravânia, Juvenília, Nova Porteirinha e Montalvânia.

 

 


Barraginhas e barreiros

As barraginhas são soluções para captação de água da chuva em terrenos com perfil declinado. A água, depois de acumulada, se infiltra no lençol freático e forma bolsões d’água. Depois disso, pode ser oferecida por meio de poços de água potável.

O total de 1.736 pequenas barragens (ou barraginhas) vai contemplar 24 municípios mineiros. São eles: São João da Ponte, Patis, Lontra, Pedras de Maria da Cruz, Bonito de Minas, Januária, Cônego Marinho, Itacarambi, Miravânia, Jaíba, Verdelândia, Nova Porteirinha, Riacho dos Machados, Matias Cardoso, Juvenília, Montalvânia, São João das Missões, Espinosa, Mamonas, Mato Verde, Rio Pardo de Minas, Pai Pedro, Catuti e Gameleiras.

Já os barreiros são reservatórios que armazenam água da chuva que escoa da superfície de uma área pré-determinada. O volume acumulado serve, por exemplo, para pequenas irrigações em estiagens prolongadas entre períodos de chuva e também para a criação animal. Cada barreiro é capaz de acumular 3,5 milhões de litros de água.

No caso dos 133 barreiros, são 17 os municípios beneficiados pelas obras: Capitão Enéias, Francisco Sá, Grão-Mogol, Cristália, Josenópolis, Padre Carvalho, Fruta-de-Leite, Novorizonte, Salinas, Taiobeiras, Rio Pardo de Minas, Indaiabira, São João do Paraíso, Ninheira, Vargem Grande do Rio Pardo, Santo Antônio do Retiro e Montezuma.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.