quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011 00:00h

Travessia deve beneficiar dois milhões de pessoas carentes

Programa já está em 110 municípios e melhorando as condições de vida de 900 mil pessoas

Cerca de dois milhões de pessoas serão beneficiadas pelo Programa Travessia até o final deste ano, com a inclusão de mais 121 municípios. Desde 2008, quando foi implantado, o número de municípios atendidos aumentou sistematicamente. No primeiro ano foram cinco cidades, já em 2009, passou para mais 35. No ano seguinte, o Travessia já estava atuando em 110 cidades mineiras, proporcionando melhorias e qualidade de vida de 900 mil pessoas.

Neste ano, o Travessia terá a maior expansão desde quando foi lançado. Serão mais 121 municípios de diversas regiões de Minas Gerais contemplados com ações em seis áreas prioritárias: gestão social, saneamento, intervenções urbanas, saúde, educação e renda. O investimento do Governo de Minas, até 2010, superou os R$ 600 milhões.

O Programa Travessia tem como objetivo promover o desenvolvimento social das comunidades em situação de pobreza em municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), de forma sustentável, por meio da integração e articulação de ações.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Wander Borges, o Programa Travessia é um exemplo de como ações intersetoriais podem transformar, efetivamente, a vida de diversas pessoas. “O diferencial do Travessia é a união das esferas públicas em prol do cidadão mineiro. Com as ações integradas, podemos ter maior efetividade das políticas públicas e transformar a vida de comunidades carentes, levando-os a uma melhor qualidade de vida”, afirmou o secretário.

Promoção do social
O município de São Gonçalo do Rio Preto, localizado no alto do Jequitinhonha, foi contemplado pelo Programa em 2009. Neste município, as ações de intervenção urbana concentraram-se no bairro Lobeira.

Com cerca de 200 habitantes, este bairro possuía os maiores índices de pobreza e vulnerabilidade do município. As casas eram precárias, as ruas não contavam com pavimentação, a iluminação era deficiente e a grande quantidade de lama e poeira no local acarretava problemas na saúde dos moradores.

De forma a transformar essa realidade, o Travessia promoveu ações como o calçamento das vias urbanas, a reconstrução de nove casas, a construção de uma praça e de outras 18 moradias e a ampliação da iluminação pública do local.

Outra iniciativa do Travessia, em São Gonçalo do Rio Preto, que possui uma economia voltada para a agricultura familiar e para o artesanato, foi a reforma e ampliação de galpões da prefeitura, transformando-os em um Mercado Municipal. O espaço possibilitará que a comunidade comercialize seus produtos em um local adequado, que pretende ser referência na região.

Atuação intersetorial
Nos três anos de atuação, o Travessia, em parceria com diversos órgãos e entidades estaduais, conseguiu mudar a realidade de milhares de pessoas carentes. O município de Setubinha, no Vale do Mucuri, é um bom exemplo dessa transformação. Com o menor IDH do Sudeste brasileiro e 10.834 habitantes, Setubinha recebeu mais de 30 ações nas áreas mais vulneráveis da cidade, com investimentos de quase R$ 11 milhões.

A comunidade de Quaresma, localizada na zona rural do município, foi uma das mais beneficiadas. Antes do Travessia, os moradores não tinham sequer banheiros. O acesso à comunidade era precário e os moradores ficavam ilhados, especialmente em dias de chuva. O programa, atuando de forma intersetorial, implantou 95 módulos sanitários, calçou 2.038m² de ruas, pavimentou 1.500m² da estrada de acesso à Quaresma, realizou 3.538m de drenagem superficial, qualificou 145 pessoas para o mercado de trabalho e realizou diagnóstico de anemia em 63 crianças. Destas crianças, 37 estavam com anemia ferropriva e hoje estão recebendo acompanhamento da equipe do Programa Saúde da Família.

Além disso, o Travessia ampliou a única Escola Municipal da comunidade, construiu uma Unidade Básica de Saúde, reformou 86 residências, implantou um sistema de água com 4.400m de rede e emitiu 410 documentos civis básicos (certidões de nascimento, carteira de identidade, entre outros).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.