quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2015 12:38h

Três mineiras disputam a final do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios

Empresárias de Belo Horizonte, Araxá e Patos de Minas concorrem nas categorias Pequenos Negócios, Microempreendedora Individual e Produtora Rural da etapa nacional da premiação

Inspiração para muitas mulheres que comandam os negócios no país, as mineiras Ana Luiza Anacleto dos Santos, de Belo Horizonte, Mara Miranda, de Araxá, e Regina Célia Koltunik França, de Patos de Minas disputam três categorias da etapa nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. A cerimônia de premiação será realizada em Brasília, no dia 5 de março.

As três empresárias foram os destaques estaduais entre as 721inscritas na premiação em Minas Gerais.  Agora, na etapa nacional, elas concorrerão com as vencedoras dos demais estados a uma viagem internacional.

 

Ana Luiza Anacleto dos Santos, da empresa Ana Luiz Noivas, de Belo Horizonte, disputa a categoria Pequenos Negócios, empreendimentos que faturam até R$ 3,6 milhões por ano. A empresária deixou o ramo da eletrônica, no qual fazia manutenção de caixas eletrônicos, para investir no mercado de casamentos. De acordo do Ana Luiza, a decisão de mudar o rumo dos negócios aconteceu durante a organização do seu próprio casamento.

A empresa foi crescendo e a empreendedora resolveu ampliar ainda mais o negócio. Há dois anos, ela promove e organiza uma das maiores feiras do estado, direcionada às noivas, debutantes e festas infantis.  Além disso, Ana Luiza faz organização de eventos empresariais.

Para ela, o sucesso nos negócios se deve ao investimento em capacitação e a busca constante por diferenciais. “Fiz uma pesquisa em outras empresas e descobri que há falhas na organização, divulgação e principalmente, muitos delas não trazem novidade para o cliente”, explica.

De acordo com Ana Luiza, no início enfrentou preconceito por ser mulher, mas nada que o trabalho e muita persistência não resolvessem. “Era difícil já que era um mercado comandado por homens, mas hoje eles já reconheceram o nosso potencial”, comenta a empresária.


De empregada a dona do seu próprio negócio

Já Mara Miranda, da Mara Miranda Esteticista, de Araxá, concorre na categoria Microempreendedora Individual. Mara largou o emprego administrativo na empresa do ex-marido para ser dona do seu próprio negócio. Tudo começou em Sete Lagoas, em 2004, onde abriu sua primeira clínica de estética.  Em 2008, resolveu se mudar para a capital, onde passou um ano trabalhando em salões de beleza, até que em 2010, conseguiu abrir seu próprio estabelecimento.

Porém, em 2011, devido a um problema de saúde de sua irmã, foi para Araxá. Mãe de quatro filhos, Mara deu início a uma nova etapa na sua vida. Formalizou-se como Microempreendedora Individual (MEI) e montou, em um anexo de sua casa, a clínica de estética onde oferece serviços como a reabilitação cirúrgica, eletroterapia aplicada a estética e estética fácil. “Como MEI consegui uma linha de financiamento, o que facilitou a compra de vários equipamentos de ponta. Tenho o que há de melhor no mercado”, explica.

No final do ano passado, Mara se formou em Gestão de Recursos Humanos e tem planos de fazer uma pós-graduação em Estética. Com uma agenda com mais de 150 clientes e os atendimentos aumentando a cada dia, a previsão é que até o final de 2015 Mara aumente a faixa de faturamento e passe a ser microempresária. “Quero ampliar meu espaço, comprar mais equipamentos e contratar mais pessoas. Tenho tudo planejado, o que ganho, o que gasto e o que posso investir. Quero ir longe”, diz a empreendedora.

Empreendedora rural

Outra mineira que está na final do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é Regina Célia Koltunik França, da Viveiro Nativo, de Patos de Minas. Ela foi vencedora estadual na categoria Produtora Rural. A assistente social já foi proprietária de uma creche, corretora de imóveis e dona de um restaurante. Em 2011, começou a trabalhar com o marido em uma fazenda em Patos de Minas. Ao construírem uma represa, encontraram dificuldade para obter mudas nativas que seriam plantadas na margem da represa. Foi assim que a empreendedora começou a criar mudas de forma caseira em um viveiro da própria fazenda. “No início atendia amigos e vizinhos, depois aumentei a produção e fui ao viveiro de mudas nativas do IEF- Instituto Estadual de Florestas, onde recebi incentivo para continuar a produção”, diz.

No período de 2009 a 2010, foram produzidas 80 mil mudas. De 2012 a 2013 esse número quadruplicou e as vendas chegaram a R$ 450 mil. Outro ponto positivo foi a redução de 28% para 20% nas perdas das mudas com doenças e pragas, utilizando técnicas corretas de manejo.
Com o mercado em ascensão, desde 2011, a empresa de Regina passou a prestar um novo tipo de serviço: o plantio e a recuperação ambiental de áreas degradadas. “Percebi que muitos clientes, como usinas elétricas, estações de tratamento de água, prefeituras e empreiteiras precisavam das mudas e de mão de obra para fazer o plantio. Foi assim que ampliamos nosso atendimento”, conta.

Para este ano, a empresa de Regina tem muito trabalho após ter ganhado uma licitação e assinado vários contratos para recuperação de áreas em Juiz de Fora, Unaí e no Rio de Janeiro.  “Agora a empresa começa uma nova etapa com a criação de uma divisão exclusiva para arborização de cidade, que é uma forte tendência nas próximas administrações”, afirma.

O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é uma iniciativa do Sebrae, em parceria com a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). A premiação reconhece mulheres à frente de micro e pequenas empresas que transformaram sonhos em negócios de sucesso, inspirando outras mulheres a se tornarem empreendedoras.


Histórias de sucesso

Mineiras na etapa nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios

Ana Luiza Anacleto dos Santos
Empresa: Ana Luiza Noivas
Categoria: Pequenos Negócios
Cidade: Belo Horizonte

Mara Alves de Miranda
Empresa: Mara Miranda Esteticista
Categoria: Microempreendedora Individual
Cidade: Araxá


Regina Célia Koltunik França
Empresa: Viveiro Nativo
Categoria: Produtora Rural
Cidade: Patos de Minas

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.