sexta-feira, 11 de Outubro de 2013 13:15h

Troca de experiências durante congresso amplia possibilidades de trabalho dos educadores

Ao longo desta semana, mais de 450 educadores da rede estadual de ensino tiveram a oportunidade de compartilhar as experiências que desenvolvem com seus alunos. O “II Congresso de Práticas Educacionais: forma de planejar e agir do professor no cotidiano

Ao longo desta semana, mais de 450 educadores da rede estadual de ensino tiveram a oportunidade de compartilhar as experiências que desenvolvem com seus alunos.  O “II Congresso de Práticas Educacionais: forma de planejar e agir do professor no cotidiano das escolas” teve foco em iniciativas desenvolvidas com os alunos dos anos finais do ensino fundamental e ensino médio. O Congresso é realizado pela Magistra - Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores.

As iniciativas apresentadas no congresso foram selecionadas pelas 47 Superintendências Regionais de Ensino. Cada regional indicou de três a cinco projetos pedagógicos voltados a temáticas diversas como: leitura, jogos matemáticos, cultura, esporte, alimentação saudável, meio ambiente e cidadania.

Ao encerrar o evento, a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, ressaltou a importância dos professores no processo de produção do conhecimento. “Não adianta nós acharmos que continuaremos a ser como foram nossos professores, a fonte exclusiva de informação. Hoje temos um papel que ninguém tira para o professor e quanto mais informações estiverem circulando por aí, mais importante será esse papel. Nós somos o filtro, a bússola, o mapa de rota. Nenhum aluno pode abrir mão da figura do professor, porque nós que temos que guiá-los e orientá-los nesse universo enorme e complexo, que é o mundo de informações disponível agora para todos nós. A escola é o lugar onde a informação se transforma em conhecimento”, destaca.

Já a diretora da Magistra, Ângela Dalben, ressaltou a qualidade dos projetos apresentados durante o congresso. “O balanço do evento é muito positivo. Percebi que do ano passado para cá, as pessoas estão investindo em projetos para apresentar. Isso não significa que elas começaram a fazer coisas boas, na verdade elas já faziam coisas boas, mas estão procurando os melhores formatos para divulgar suas ideias. Nesse sentido, a gente observa que grande parte desses trabalhos têm características importantes. A primeira, as metodologias ativas. Os professores estão em sala de aula dialogando mais com seus alunos e fazendo com que eles sejam protagonistas. Um outro aspecto importante é que a escola passa a ser um centro de cultura e de articulação com a comunidade. Vários projetos fazem com que a sala de aula se expanda e abrace a própria comunidade da escola”, ressalta a diretora

Todos os projetos selecionados foram registrados em um CD que foi distribuído aos participantes durante o congresso. A publicação foi registrada na Biblioteca Nacional como anais do evento, recebendo o registro do ISBN - International Standard Book Number. A ideia é que o CD seja utilizado como uma fonte de informação para os educadores no desenvolvimento de suas práticas educacionais.

A professora de Geografia da Escola Estadual Tancredo de Almeida Neves, do município de João Pinheiro, Hellen Cássia dos Reis Souza, apresentou o projeto ‘”Expansão Urbana de João Pinheiro: Um olhar geográfico sobre duas rodas”. Apelidado pelos alunos de “Sou + bike”, a iniciativa estimula os estudantes a identificarem no município as características da expansão urbana estudadas em sala de aula. Para Hellen, apresentar o projeto no congresso é uma oportunidade de trocar experiências e mostrar para seus colegas o trabalho feito na escola. “Esse evento está sendo maravilhoso. Estamos tendo contato com práticas desenvolvidas em escolas de todo o Estado. Já participei de três minicursos que vão me ajudar nas aulas”, ressalta.

Minicursos

Durante o congresso, os educadores tiveram a oportunidade de participar de minicursos voltados a temas como “Praticas Pedagógicas e o diálogo do profissional da educação na contemporaneidade”, “Música do Corpo”, “Um novo olhar para o desenho’, “Escrever com prazer: escrita e tipos textuais” e ‘Trabalho em equipe: os desafios da diversidade no espaço escolar’. Ao todo, foram ofertados 18 minicursos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.