quarta-feira, 23 de Março de 2016 12:29h Agência Minas

Tuberculose tem cura e tratamento garantidos pelo SUS em Minas Gerais

Abandono do tratamento é um dos principais desafios para o controle da doença. Para marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, Secretaria de Saúde lança campanha com orientações

Considerada uma das doenças mais antigas da história da humanidade, a tuberculose ainda é responsável por 9,6 milhões de casos a cada ano em todo o mundo. Trata-se de uma doença infectocontagiosa com profundas raízes sociais, mas que pode afetar qualquer indivíduo, independentemente de sua classe social.

Nesta quinta-feira, 24 de março, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, agravo que tem cura e tratamento oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A tuberculose é causada por uma bactéria, sendo transmitida pelo ar de pessoa para pessoa, por meio da fala, tosse ou espirro. Ela atinge principalmente os pulmões, mas outros órgãos também podem ser afetados.

 

 

 

Com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância da prevenção e tratamento correto da doença, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lança a campanha “A tuberculose tem cura e o tratamento é gratuito”.

O tema será trabalhado nas redes sociais da SES-MG, além de uma parceria com a BH Trans, que vai trabalhar a campanha do Jornal do Ônibus. Também foi criado um site especial para a campanha, com informações sobre a doença e tratamento.

 

 

 

Sintomas

O sintoma mais característico da tuberculose é a tosse persistente, com ou sem catarro, que dura mais de três semanas. Emagrecimento, falta de apetite, suor noturno, febre (geralmente no final do dia), cansaço e dor no peito são outros sintomas que podem acompanhar a tosse.

Em caso de sintomas, é fundamental procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS). O diagnóstico e tratamento podem ser feitos gratuitamente pelo SUS, e os medicamentos devem ser tomados pelo paciente todos os dias, mesmo que haja melhora nos sintomas.

 

 

 

Em 2015, foram notificados 4.199 casos de tuberculose em Minas Gerais e 165 óbitos.

Segundo o coordenador do programa Estadual de Combate à Tuberculose da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Pedro Navarro, o abandono do tratamento é um dos principais desafios para o controle da tuberculose.

“O paciente que está fazendo uso correto dos medicamentos passa a não transmitir a doença após 15 dias de tratamento, aproximadamente. Mas para isso acontecer, é fundamental tomar os medicamentos todos os dias e pelo tempo previsto, de no mínimo seis meses”, explica.

 

 

 

Ambientes bem ventilados e com entrada da luz do sol contribuem para a prevenção da tuberculose. Já a vacina BCG, disponibilizada gratuitamente pelo SUS, oferece proteção para as crianças, evitando as formas graves da doença.

Alguns grupos populacionais possuem mais vulnerabilidade em relação à doença, devido às condições de saúde e de vida a que estão expostos. Precisam de atenção especial os indígenas, os privados de liberdade, pessoas em situação de rua e pessoas que vivem com o HIV/Aids e que podem ter o sistema imunológico debilitado.

 

 

 

Programa Estadual de Controle da Tuberculose

A SES-MG, por meio do Programa Estadual de Controle da Tuberculose, mantém diversas ações de enfrentamento da doença. Entre elas, está a realização de visitas de monitoramento e avaliação às Regionais de Saúde e municípios prioritários, além de oferecer capacitação a profissionais de saúde.

Também são realizadas parcerias com as áreas da SES-MG que trabalham com a saúde das populações mais vulneráveis à tuberculose, e também o alinhamento de ações para a assistência aos pacientes.

O monitoramento da implantação do Teste Rápido Molecular da Tuberculose (TRM-TB) no estado é feito em parceria com a Fundação Ezequiel Dias (Funed). O exame, disponível pelo SUS, detecta em aproximadamente duas horas a presença ou ausência da doença no escarro do paciente.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.