segunda-feira, 12 de Setembro de 2016 14:34h UFSJ

UFSJ conquista recredenciamento, mais uma vez

O Diário Oficial da União publicou, na edição de 15 de agosto, a Portaria MEC nº 875, de 12/08/2016, que trata do recredenciamento da UFSJ pelos próximos oito anos. Entre os dias 26 e 30 de maio do ano passado, já na última etapa do processo, a Universidade foi avaliada in loco por comissão externa do INEP, composta por três avaliadores.

Os critérios adotados foram aqueles descritos no Instrumento de Avaliação Institucional do INEP, que contempla cinco eixos: Planejamento e Avaliação Institucional; Desenvolvimento Institucional; Políticas Acadêmicas; Políticas de Gestão; Infraestrutura. Nestes, estão inseridas as 10 dimensões avaliativas obrigatórias relacionadas na Lei do Sinaes.

A Comissão do INEP se debruçou sobre cada uma dessas dimensões, ouvindo gestores, docentes, técnicos, discentes e integrantes da Comissão Própria de Avaliação (CPA), além de analisar o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e checar as instalações dos três campi de São João del-Rei, coletando subsídios para a composição do Conceito Institucional, atribuído à UFSJ no Relatório Final da Avaliação Institucional. A Universidade obteve conceito 4. “Considerando ser a UFSJ uma instituição ainda jovem e o franco processo de expansão por que passou recentemente, ainda em consolidação, o conceito 4 obtido nessa avaliação, numa escala de 1 a 5, é um resultado que reflete a excelência institucional”, declara o reitor Sérgio Cerqueira.

Periodicamente, todas as instituições de educação superior do Brasil, sejam elas faculdades isoladas, centros universitários ou universidades, passam pelo processo de recredenciamento, que lhes assegura a oferta do grau superior de ensino. Na prática, o recredenciamento institucional significa a continuidade da missão acadêmica e científica da UFSJ, como previsto em seu PDI 2014-2018: “Desenvolver com excelência as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão de forma indissociável, contribuindo com a indução de mudanças e avanços para uma sociedade justa e igualitária, por meio da produção e socialização dos conhecimentos acadêmico, tecnológico, artístico e filosófico, tendo como parâmetros os princípios éticos e humanísticos.”

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.