terça-feira, 1 de Março de 2016 13:51h Agência Minas

Vacinação é fundamental para o cuidado com a saúde feminina

Veja quais vacinas são indicadas para as mulheres adolescentes, adultas e gestantes

O cuidado com a saúde da mulher começa com as boas práticas de saúde, especialmente as relacionadas à prevenção. Conhecer o próprio corpo e entender as suas necessidades em cada fase da vida é fundamental para a promoção da saúde. Por isso, as vacinas ofertadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) são uma das medidas mais importantes na prevenção de diversas doenças. É fundamental conhecer as vacinas disponibilizadas para as mulheres adolescentes, adultas e gestantes e estar com o calendário de vacinação em dia.

Segundo o médico infectologista e referência em imunização da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), José Geraldo Leite Ribeiro, manter o calendário de vacinação atualizado é parte fundamental do cuidado com a saúde da mulher. “As vacinas oferecem proteção para doenças potencialmente graves. Além disso, a mulher vacinada protege indiretamente seus filhos e outros contatos íntimos”, explica.

Para as meninas e adolescentes com idade entre 9 e 13 anos, a vacina contra o HPV vai proteger contra as infecções causadas pelo vírus e também ajudar na prevenção do câncer de colo do útero, no futuro.  Ao receber a vacina em duas doses, com intervalo de seis meses entre a primeira e a segunda dose, as meninas garantem a proteção na vida adulta.

A hepatite B também pode ser prevenida com uma vacina, que pode ser tomada em qualquer idade ou condições de vulnerabilidade. Mulheres idosas devem ficar atentas, já que para este público a hepatite B pode apresentar características mais graves. A doença pode ser transmitida sexualmente, de mãe para filho através do parto ou amamentação e também ao compartilhar seringas, agulhas, cachimbos, escova de dente ou materiais cortantes. Além da vacina, utilizar preservativo em todas as relações sexuais é uma importante maneira de prevenir a hepatite B.

A vacina tríplice viral protege contra o sarampo, caxumba e rubéola, devendo ser administrada numa única dose, após os 20 anos de idade e em duas doses antes dessa idade. É importante tomar a vacina antes de engravidar, para prevenir a rubéola congênita, ou no período do pós-parto imediato. A mulher que tomar a vacina sem saber que estava grávida deve procurar o serviço de saúde. Já a vacina contra a febre amarela deve ser tomada em dose única com um reforço após dez anos.

 

 

 

Vacinação durante a gravidez

A vacinação é parte fundamental dos cuidados durante a gestação. Além de proteger a mãe, a vacina vai beneficiar também o bebê, que ainda não possui anticorpos contra algumas doenças. Atualmente, existem quatro vacinas indicadas para as mulheres em período gestacional: dupla adulto dT (que também é indicada para mulheres que não estão grávidas), gripe, dTpa e hepatite B. Veja abaixo os benefícios e especificidades de cada uma delas.

Dupla adulto dT (difteria e tétano)

Todas as mulheres devem tomar a vacina duplo adulto dT, que protege contra a difteria e o tétano, mas as gestantes devem ter um cuidado especial. Para as mulheres que não foram vacinadas anteriormente é preciso receber três doses com intervalos de 60 dias entre elas, sendo que uma das doses é feita com a vacina dTpa. A segunda dose deve ser tomada pelo menos um mês antes do parto. Já mulheres que tomaram a vacina dT nos últimos cinco anos, é preciso tomar apenas uma dose com a dTpa.

A vacina contra dT é segura e vai proteger o bebê contra o tétano neonatal, também conhecido como mal dos sete dias. A doença pode causar, no bebê, dificuldades para a amamentação, contrações e espasmos, podendo levar a criança à morte. A mesma vacina também vai proteger a mulher contra o tétano em adultos.

dTpa (difteria, tétano e coqueluche)

A vacina contra difteria, tétano e coqueluche foi introduzida ao calendário de vacinação em 2014, sendo fundamental para a redução da mortalidade em crianças menores de seis meses. Quando a mãe se vacina, o bebê também ganha proteção contra a coqueluche. A dTpa deve ser aplicada entre as 27ª e 36ª semanas de gestação, período em que vai gerar maior proteção para o bebê, com uma efetividade de cerca de 91%. A vacina dTpa protege a criança da coqueluche nos primeiros três meses de vida.

Gripe

Todas as gestantes devem ser vacinadas contra a gripe durante a campanha anual de vacinação. Grávidas em qualquer período gestacional fazem parte do grupo prioritário da campanha, já que o risco de complicações por causa da gripe é amentado durante a gestação.

Hepatite B

A vacina contra hepatite B deve ser aplicada em três doses em qualquer momento da gestação. Mulheres que já foram vacinadas antes da gestação já estão protegidas e não precisam receber novas doses.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.