sexta-feira, 26 de Dezembro de 2014 10:05h

Vendas diretas do produtor na CeasaMinas até novembro somam R$ 655,3 milhões

Volume ofertado teve pequeno aumento por causa da seca no período

A comercialização de hortaliças e frutas no Mercado Livre do Produtor (MLP) da Ceasa-Minas, no acumulado de janeiro a novembro de 2014, possibilitou um movimento de R$ 655,3 milhões, cifra 4% superior à registrada em idêntico período de 2013. O valor equivale a 17,7% do obtido com as vendas totais do MLP no período, segundo análise da Subsecretaria de Agricultura Familiar da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) – responsável pela coordenação da gestão do MLP –, com base em dados produzidos pela Ceasa-Minas.

De acordo Erineu Resende Ferreira assessor da Superintendência de Abastecimento Alimentar e Comercialização (Supac) da subsecretaria, o volume de comercialização dos produtos no MLP – cerca de 515 mil toneladas – representa um aumento de 5% em relação à quantidade registrada entre janeiro e novembro do ano anterior. Ele explica que 25,7% da comercialização total de legumes e frutas da CeasaMinas foi realizada no MLP.

O levantamento dos dados do MLP mostra o tomate, líder de vendas no grupo das hortaliças, com uma receita de R$ 117,8 milhões, equivalente a 18% do valor obtido pelas vendas totais do produto no entreposto. A cenoura, em segundo lugar, movimentou R$ 39,8 milhões, ou 6,1% de participação nas vendas totais da hortaliça na CeasaMinas.

Os demais produtos do grupo de hortaliças relacionados pela Superintendência de Abastecimento Alimentar – pimentão, quiabo, batata doce, batata, chuchu e repolho – responderam pela receita de R$ 155,1 milhões.

No grupo das oito principais frutas, o movimento do MLP soma R$ 117,8 milhões, equivalentes a 18% da receita total registrada pela CeasaMinas com a comercialização desse segmento. A banana lidera o ranking, com receita de R$ 49 milhões, participação de 7,5% do total alcançado com as vendas totais da fruta no entreposto. No caso do morango, a receita de R$ 18,5 milhões, obtida pelo MLP, ficou próxima de 3% do total registrado pela CeasaMinas. Os demais produtos avaliados foram os seguintes: manga, maracujá, tangerina, abacate, mamão e abacaxi.

Efeito da seca

De acordo com a avaliação de Ferreira, o aumento de 15% no valor registrado com a venda de frutas no MLP da CeasaMinas se deve à melhoria da cotação dos produtos, pois a elevação do volume vendido em 709,4 mil quilos, representou uma progressão de apenas 1% ante o de janeiro a novembro de 2013. Para o assessor, deve-se considerar que durante quase todo o período analisado os produtores enfrentaram problemas nas lavouras como consequência da seca que interferiu na produção, resultando no pequeno aumento principalmente da oferta de frutas.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.