quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014 07:34h

Vereadores visitam Sistema Rio das Velhas para tratar do abastecimento na RMBH

Na oportunidade, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais apresentou suas principais iniciativas e o funcionamento estratégico do Sistema

A Copasa recebeu, nesta quarta-feira (17/12), no Sistema Rio das Velhas, a visita de vereadores da Câmara Municipal de Belo Horizonte. O Sistema é o maior de Minas Gerais e a principal fonte de abastecimento de água da capital e Região Metropolitana. O objetivo do encontro foi esclarecer o processo de produção de água e a situação do abastecimento na RMBH.

“Belo Horizonte é a principal concessão da Copasa, fruto de uma parceria de sucesso. Os vereadores então puderam conhecer melhor como a cidade é abastecida, pois atendemos 100% da população com água tratada”, declarou o diretor de Operações da Região Metropolitana da Companhia, Juarez Amorim.

O Sistema Rio das Velhas, juntamente com os Sistemas da Bacia do Paraopeba (Rio Manso, Serra Azul e Vargem das Flores), responde por aproximadamente 90% do abastecimento da RMBH. Com uma vazão média mensal de produção de 7 mil litros por segundo, o Sistema é responsável pelo abastecimento de 67% de Belo Horizonte.

De acordo com o superintendente de Produção e Tratamento de Água da Copasa, Nelson Guimarães, o encontro é muito importante para os vereadores conhecerem o processo utilizado para abastecer Belo Horizonte. “Oportunidade para esclarecer dúvidas e curiosidades do nosso trabalho, já que se trata de um setor muito estratégico para a cidade”, destacou.

Durante a visita ao Sistema, os vereadores receberam informações sobre as principais iniciativas da Copasa para melhorar a prestação dos serviços na capital, como a implantação da Linha Azul e do Centro de Operação de Sistemas (COS). “Viemos para conhecer melhor o sistema e tirar dúvidas sobre captação e os níveis do manancial. Importante também para criarmos leis educativas que visam à conscientização da população sobre preservação da água. Os serviços prestados pela Copasa que estamos vendo aqui dão tranquilidade para o cidadão e para nós”, ressaltou o presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vereador Léo Burguês.

Seu colega de Legislativo, vereador Wendel Mesquita, vai utilizar o que aprendeu em palestras direcionadas para crianças. “Foi esclarecedor o processo que temos antes de abrir a torneira. Vai ser ótimo levar para as crianças, que serão os adultos de amanhã, a consciência da importância de preservar a água”, ressaltou.

Para possibilitar maior flexibilidade operacional entre os dois maiores sistemas de produção de água da RMBH – bacia do Rio das Velhas e do Paraopeba –, a Copasa implantou a Linha Azul, que permite a transferência de água tratada de um sistema para o outro, minimizando impactos no abastecimento provocados por paralisações realizadas pela empresa.

O monitoramento do abastecimento na Região Metropolitana de Belo Horizonte é feito pelo Centro de Operação de Sistema (COS), localizado no bairro Santo Antônio, em Belo Horizonte. Por meio do COS, a Copasa consegue monitorar, 24 horas por dia, toda a malha de redes de água com diâmetro maior e igual a 200 milímetros de diâmetro na RMBH. O Centro de Operação permite controlar a produção e distribuição de água e a otimização do abastecimento, uma vez que possibilita visualizar, em tempo real, o status dos equipamentos em campo, identificando se estão aberto ou fechado, ligado ou desligado e suas medições.

Abastecimento RMBH

Na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a produção de água está normal após o período de estiagem. Na região, a distribuição de água é feita pela integração de vários sistemas de produção de água, entre eles os das bacias do Velhas e do Paraopeba. A vazão do Rio das Velhas está recuperada após o período chuvoso garantindo a produção máxima do sistema. As barragens do sistema Paraopeba (Rio Manso, Serra Azul e Várzea das Flores), com as chuvas dos últimos dias, o volume das águas vem recuperando e está dentro do esperado para o período.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.