sexta-feira, 3 de Agosto de 2012 09:45h Gazeta do Oeste

Vetado link contra vereadores de BH no Facebook

A comissão de propaganda eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) determinou ao Facebook, site de relacionamentos da internet, que retire do ar um cartaz com a relação de todos os vereadores da Câmara Municipal de Belo Horizonte que teriam sido favoráveis ao aumento dos próprios vencimentos, vetado pelo prefeito Márcio Lacerda (PSB), em janeiro deste ano.

 

 

O pedido de retirada da página foi feito pelo vereador Wagner Messias (DEM), conhecido como Preto, que disputa a reeleição. De acordo com a defesa do vereador, a página incluiu seu nome na lista dos que votaram pelo aumento, apesar de ele não ter participado de nenhuma das votações que trataram dos novos salários do Legislativo da capital. 

 

Batizada com o nome de “Vereadores que BH que votaram no aumento de 61,8% dos próprios salários”, a lista traz a foto de todos que foram a favor do aumento e também os que se abstiveram no primeiro e no segundo turno. Logo abaixo das fotos, o cartaz traz uma legenda explicando a posição de cada um e um carimbo onde se lê “nas urnas eu veto”.

 

 

O vereador disse desconhecer a ação, pois, segundo ele, todas as questões de sua campanha que envolvem a Justiça Eleitoral são tratadas pelo departamento jurídico. “Não tenho conhecimento da ação, mas não votei a favor do aumento. Pelo contrário, em todas as votações, sai do plenário na hora de votar, para depois ninguém falar que eu fui a favor do aumento”, explica.

 

O link que o Facebook terá de tirar do ar já teve milhares de compartilhamentos desde que apareceu pela primeira vez nas redes sociais no fim do ano passado. O autor do cartaz é desconhecido, mas na ação a defesa do vereador apresenta um link postado na página de uma pessoa, que pediu para não ser identificada. Em conversa com o Estado de Minas, ela contou que viu o link na internet e postou no seu perfil como forma de protesto contra o aumento dos salários, que acabou sendo derrubado pelos próprios vereadores. Pressionados, eles mantiveram o veto do prefeito ao aumento. “Vi na internet e compartilhei na minha página”, conta.

 

 

A defesa do vereador pediu a retirada alegando “intuito difamatório”, para “influenciar negativamente a apreciação do candidato pelo eleitor.”. O Facebook tem 48 horas para proceder a retirada do link do ar. O prazo começa a contar a partir da notificação da sentença, publicada pelo TRE-MG no dia 1º.

 

O aumento dos salário no fim de 2011 foi aprovado no apagar das luzes do ano legislativo e provocou uma onda de protestos na capital mineira. Pela proposta, a remuneração dos vereadores passaria de R$ 9.288,05 para R$ 15.031,76 a partir de 2013, já que o acréscimo dos vencimentos só pode ser feito de uma legislatura para a outra.

 

 

 

 

 

 

EM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.