quinta-feira, 11 de Outubro de 2018 08:49h Jordana Amaral

Intenção de Consumo se mantém em alta, segundo a Fecomércio MG

​ Índice apurado pela Fecomércio MG apresenta segunda expansão consecutiva e atinge 79,5 pontos em setembro, contra os 76,3 apurados em agosto

 

O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de Belo Horizonte registrou a segunda alta consecutiva em setembro. O indicador, apurado pela Fecomércio MG, com base em dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), passou de 71,1 pontos, em julho, para 76,3, em agosto, atingindo agora 79,5 pontos. Trata-se da melhor pontuação para o mês desde 2016, quando estava em 66,2. Apesar da reação nesse período, ainda se encontra abaixo da fronteira de satisfação (100 pontos).

Em setembro, todos os sete itens que compõem o ICF apresentaram aumento (emprego, perspectiva profissional, renda atual, acesso ao crédito, nível de consumo, perspectiva de consumo e momento para duráveis). “O consumidor percebe sinais de retomada do mercado de trabalho, mesmo que de forma moderada, além da inflação e dos juros sob controle. Ainda é possível perceber um ganho real na renda das famílias ao longo do ano, reforçado com a liberação do PIS/Pasep e, no próximo mês, do 13º salário. Tudo isso impulsiona a confiança para as compras no final de ano”, avalia a analista de pesquisa da Federação, Elisa Castro.

Os dados do estudo reforçam essa avaliação. Os índices de emprego e renda atual foram os destaques de setembro. O primeiro item saiu de 101,4 pontos, em agosto, para 106,5, sendo o único a figurar na faixa de otimismo. Já o indicador de renda atual subiu de 91,8 para 96,5 no mesmo período. A maioria dos entrevistados (65,5%) afirmou que o rendimento, em 2018, está igual ou melhor em relação ao ano passado.

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.