quinta-feira, 22 de Setembro de 2016 14:14h Pedro Gianelli

“Achei que morreria ali”, conta árbitro agredido em Divinópolis

Uma equipe de arbitragem da Liga Municipal de Desporto de Divinópolis (LMDD) foi agredida fisicamente após uma partida de futebol, no campo do Zinabre, no bairro Icaraí, em Divinópolis

Uma equipe de arbitragem da Liga Municipal de Desporto de Divinópolis (LMDD) foi agredida fisicamente após uma partida de futebol, no campo do Zinabre, no bairro Icaraí, em Divinópolis. O jogo era válido pela Semifinal da Copa Abdala, entre as equipes do Zinabrinho e Bola de Ouro, da cidade de São Gonçalo do Pará. O trio de árbitros, Rinaldo de Souza, Fábio Júnior e Alexandre, foi escalado pela LMDD para realizar duas partidas pelas categorias 2005 e 2001.

Segundo o árbitro Fábio Júnior, após o término da partida, eles viveram momentos de horror. Teria se iniciado quando o trio já estava no veículo para trocar o uniforme e surgiu um atleta do Zinabrinho proferindo palavrões contra o trio, este acompanhado do pai, que também começou a proferir palavrões contra os árbitros e ameaçando-os de agressão. Segundo Fábio Júnior, ele mesmo argumentou com o pai, dizendo: “Para com isso, somos todos pais de família, largamos em casa para vir para campo”, conta. Mesmo assim o pai do atleta disse que o trio iria apanhar. “Momento em que o pai armou um murro para dar no Naldinho (Rinaldo Souza), o Alexandre disse a ele: ‘vamos largar disso’, aí o pai deu um soco na cabeça do Alexandre”, contou Fábio Júnior.

Ainda segundo o árbitro, o pior ainda estaria por acontecer, pois Fábio Júnior entrou na frente para defender o companheiro e também foi agredido com um soco na cara. “Aí vieram várias pessoas para cima de nós, principalmente para cima de mim, me chutando, dando soco, me derrubaram no chão e me deram voadora, chutes em direção à minha cabeça, onde consegui proteger com os braços, segundo relatos, foram em torno de 8 a 10 pessoas me agredindo, sinceramente achei que morreria ali linchado, aí chegaram pessoas e o Lajinha, responsável pelo Zinabrinho e conseguiram tirar os agressores”, relembra.

Houve veículos danificados, vidas ameaçadas. A categoria estuda fazer uma paralisação geral em Divinópolis, como foi feito na região metropolitana de Belo Horizonte, em protesto às agressões. “Não vamos esperar acontecer o pior, ocorrer uma morte”, alerta.

O fato foi registrado junto à Polícia Militar, representação tanto no criminal quanto indenizatória. Fato também curioso que foi neste momento que se descobriu que o atleta causador da confusão, na súmula, consta um nome diferente do que é o nome real, apresentou documento diferente ou de outra pessoa. “Só fomos dar conta disso quando fomos relatar, pois o mesmo era o capitão da equipe”, conta a arbitragem.

O árbitro Fabio Júnior foi convidado a participar dos programas esportivos para mostrar a realidade do futebol amador e isso ocorrerá após a recuperação dele. “Estou mancando, a cabeça não esquece os momentos de terror vívidos”, relatou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.